20 de mai. de 2020

Elemento AR


O elemento ar, junto com Fogo, Terra e Água, é um dos quatro elementos das cosmogonias tradicionais do Ocidente e do Oriente. Está presente em todas as religiões e seus rituais, na filosofia esotérica, na alquimia e na terra.

Fisicamente falando, é o ar, o céu, são os ventos. Também essencial para a vida, na Terra todos comungamos de uma única biosfera, fundamental para o desenvolvimento de todos os seres vivos. O Ar é como se fosse uma espécie de liga que une toda a criação. Podemos dizer que estamos todos envoltos pelo ar. Uma das suas funções é arejar, mudar, deixar tudo mais leve. Mesmo de forma sutil física, se apresenta de várias formas: mais denso, menos denso, seco, úmido, frio, quente, etc.

O Elemento Ar

O ar é um elemento da natureza considerado ativo e masculino. Em geral é considerado como o primeiro dos elementos dos elementos. Possui natureza dupla e é ao mesmo tempo atmosfera tangível, volátil, que pode ser chamado de Ar espiritual. Esta essencialmente relacionada com três conjuntos de ideias: o respiro criativo da vida, a palavra criadora; o vento como ar dinamizado, conectado em muitas mitologias, como ideia de criação, e, finalmente, o próprio espaço como meio onde se produzem os movimentos e de onde emergem os processos de criação e desenvolvimento da vida.

No campo humano o Ar esta relacionado aos pulmões, purificando e vitalizando o sangue que conduz o elemento vital ou Agente Mágico Universal. O sentido do olfato esta relacionado com o importante simbolismo do ar, cuja representação mágica é a espiral. Ele é ainda o hálito que respiramos e que se acha simbolizado nas fumaças que usamos na Umbanda.

A força mágica da fumaça reside no fato dela representar o ato de libertação da forma como imediata dissolução do ar, em forma espiralada.

Isso permite ao elemento ar atuar como intermediário entre o mundo da forma e o mundo espiritual envolvente e invisível, tornando-se assim um agente mágico capaz de transformar em resultado eficaz a intenção com que a fumaça é libertada para dissolver-se no ar.

Portanto, pode-se explicar o poder da magia por sua própria condição de se fortalecer na transmutação no retorno e plenitude. Uma vez fortalecida por sua identificação com o global, a intenção do ato mágico vai refletir-se como retorno do outro mundo formal para alcançar o objetivo mágico com eficácia. Estas são as raízes do pensamento mágico.

Sou filha de Umbanda
Somos todos UM.
Umbanda o que é ?



banner-redes-sociais

Nenhum comentário:

Postar um comentário