31 de mar. de 2020

Plantas de Proteção: banhos de ervas que ajudam a eliminar os mais fluidos produzidos pela magia negra




PERGUNTA: Mas existem pessoas , que devem ignorar as virtudes da arruda e guiné-pipi, como barômetro e transformador vegetal , pois elas plantam essas duas plantas convictas de que elas afastam os maus espíritos! Que dizeis?

RAMATÍS: Reconhecemos que a plantação pródiga de arruda e guiné-pipi em torno das residências terrenas, jamais seria recurso eficiente e defensivo, caso os seus moradores continuem alimentando o ódio, o ciúme, e a irascibilidade no ambiente doméstico. A Arruda, planta vulgar e clássica dos pretos , da família das Rutáceas, sub-arbusto elegante e ramoso, de folhas ver-azulado, dá flores que se reúnem em cachos amarelos e pequenos e dela derrama-se um cheiro muito ativo, mas pouco agradável. É muito usada contra o feitiço e outras crendices africanas considerada uma planta protetora. Mas as virtudes mágicas da arruda não são, entretanto, criação exclusiva dos africanos, pois o velho provérbio italiano já diz : "La Ruta ogni mala stuta", ou "A arruda, muito mal espanta". É oriunda da Europa e aclimada no Brasil. É planta estimulante, emenagoga e empregada contra vermes, combatendo também, a clorose e histeria. Em dose forte é usada entre os mandigueiros, para tirar o quebranto. Embora a arruda e a guiné-pipi não sejam vegetais com o poder miraculoso de afastar os "maus-espíritos", elas assinalam e advertem a natureza fluídica e a necessidade de purificação do ambiente, o que pode ser feito pela prece ou pela elevação da conduta moral do ser. Enquanto a arruda funciona como generoso barômetro vegetal a indicar o teor fluídico do ambiente, a guiné-pipi ajuda na absorção de eflúvios inferiores e num transformismo sacrificial, ela os devolve purificados. A verdade é que se trata de mais um recurso abençoado por Deus , no sentido de advertir a criatura humana , quando envolve-se nos maus fluídos do mundo!

No mundo oculto, a vida ainda é mais intensa e complexa, porque ali é que as coisas palpitam em sua contextura original . O imenso potencial magnético e etérico que palpita na intimidade do reino vegetal, influi no campo emotivo e psíquico do homem, quer através da fragrância do perfume, como até produzindo enfermidades alérgicas, perturbações mentais e emotivas através de suas emanações tóxicas. As favas de S. Inácio, espécie de bagas originárias das Filipinas, possuem um tóxico que atua fortemente no sistema nervoso humano, pois tornam o homem muito sensível e emotivo às impressões externas , causando melancolia, choro , pesares injustificados e sintomas de histerias. Entre as espécies vegetais conhecidas por "pango", uma delas, conhecida na homeopatia por "Cannabis Sativa"( a "famosa" Maconha/rsm), ataca o sistema nervoso, produzindo intensa exaltação mental seguida de longo embrutecimento. As pessoas gentis, sob a ação do "pango" tornam-se prazenteiras, e as irritáveis ainda ficam mais raivosas, cujas ideias se amontoam e confundem-se no cérebro, produzindo loquacidade incoerência e esquecimento.

PERGUNTA: Os banhos de ervas ajudam a eliminar da aura os fluidos produzidos pela bruxaria?

RAMATÍS: Sem dúvida, pois as plantas são núcleos de forças etéreo-físicas tão vigorosas como as que circulam pelo duplo etérico do homem. Mas os banhos de descarga devem ser feitos com ervas seivosas, colhidas na sua hora astrológica ascendente e no período lunar favorável, conforme já explicamos em outra obra. Elas liberam forças que se acumulam durante a germinação e o crescimento; e depois bombardeiam a aura humana sobrecarregada de fluidos nocivos, desintegrando os centros de convergência mórbida. Ademais, as ervas estão impregnadas de substâncias terapêuticas, que penetram poros adentro revigorando as próprias reações orgânicas.


Por: Ramatís/Hercílio Maes - in Magia de Redenção (Livraria Freitas Bastos)
Fonte:
Conheçam nossas redes sociais: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário