21 de jan. de 2020

Qual o dofrimento dos médiuns que não cumprem o seu mandato espirtual dignamente na Terra?



PERGUNTA: — Os médiuns que negligenciam com esses compromissos espirituais deverão sofrer severamente, depois de desencarnados, as penas impostas pelo Tribunal Divino?

RAMATIS: — Desnecessário é vos dizer que o sofrimento dos médiuns que não cumprem o seu mandato espiritual dignamente na Terra — e que eles mesmos requereram para a sua própria redenção bem antes de se reencarnarem, não é imposto à semelhança dos julgamentos da justiça humana. Embora não lhes seja aplicado deliberadamente nenhum castigo determinado pelas autoridades sidéreas, as suas condições vibratórias demasiadamente confrangedoras e o remorso cruciante, devido ao desrespeito à confiança angélica, são suficientes para vergastar-lhes a consciência e maltratar-lhes a alma angustiada. Depois que despertam no Além e reconhecem, à luz meridiana de sua consciência espiritual, os enormes prejuízos que causaram na consecução do elevado programa organizado pelos espíritos benfeitores, os médiuns delinquentes se tornam ainda mais infelizes, verificando a necessidade de recomeçar novamente a mesma tarefa na Terra, não só em piores condições como ainda deserdados do endosso angélico de que abusaram negligentemente. E como ainda é extensa a fila dos espíritos desencarnados aguardando novos corpos físicos para uma reabilitação espiritual que lhes amaine as dores perispirituais e lhes olvide o remorso das vidas pregressas mal vividas, esses médiuns perdulários e faltosos terão de permanecer muitos anos no mundo astral, a meditar nas suas desditas e sofrer o efeito de suas mazelas íntimas.

Por: Ramatís/Hercílio Maes - in "Mediunismo"

Nenhum comentário:

Postar um comentário