20 de jan. de 2020

Acontece durante o passe - Umbanda tem fundamento




Entremeando os passes e aconselhamentos espirituais junto às pessoas que procuram os terreiros, se vivencia experiências extrassensoriais. Quando o médium cede passivamente seu mental ao espírito comunicante; temos as percepções sinestésicas, que ocorrem ao escutar o depoimento de um consulente frente a frente com o mesmo e perceber suas energias vibratórias em termos de paladar, olfato, cores e sons, estímulos psíquicos que podem vir acompanhados de fortes emoções negativas, como raiva, tristeza, angústia, vontade de chorar, ou positivas, como bem-estar, alegria, leveza, amor, entre outras sensações.

Certa vez, atendemos um consulente que tinha sofrido um incêndio em sua casa e, durante seu relato, sentimos cheiro de plástico queimado, escutamos o crepitar das chamas e o calor nos fez suar como se estivéssemos dentro da cena descrita. Outras vezes, ao darmos um passe, feriu-nos as narinas o odor do duplo-etéreo do atendido, oriundo de suas emanações fluídicas, que são imperceptíveis em estado ordinário de consciência. Há ocasiões, durante os ritos de louvação aos orixás, em que escutando as cantigas que trazem palavras que nos "encantam" e nos induzem a criar imagens mentais, visualizamo-nos numa mata, numa beira de cachoeira ou em lindos jardins floridos, "catarses" que são acompanhadas de cheiro de mato, pássaros cantando, barulho de água rolando nas pedras, e por vezes vemos animais como águias, onças, papagaios, lobos, búfalos, que, em verdade, são símbolos induzidos pelos rituais, ligados a nossa ancestralidade, que afloram do inconsciente.

Por: Norberto Peixoto - in "O Transe Ritual"

Nenhum comentário:

Postar um comentário