15 de out. de 2019

Os descendentes do tronco Tupi



PERGUNTA.: - Existem espíritos tupi-guaranis que são caboclos de umbanda: Tupinambá, Tupiara, Tupiaçu, Tupimirim, entre outros. Muitos ainda falam o nheengatu e pertenceram às tribos mais evoluídas do planeta. Como explicar uma civilização tão antiga falar um idioma considerado desenvolvido pela linguística, inclusive se comparado com as línguas atuais?

RAMATÍS: - O som é pensamento, e a sonoridade verbal o expressa. As imagens mentais antecedem a idéia e sua verbalização. Somente espíritos de grande conhecimento poderiam se adaptar a um idioma como o falado pelos tupi-guaranis. Essa tribo "primitiva" não era monossilábica; e seu vocabulário era expressão das consciências espirituais extraterrestres, com os quais mantinham sintonia e de quem eram procedentes. No plano hiperfísico, atuavam os regentes dessa raça, espíritos de escol que vieram de Sírius para a Terra trazendo o intercâmbio com o mundo rarefeito interdimensional.

Os espíritos que atuam na umbanda, descendentes do portentoso tronco tupi e originários dessa estrela distante (Sírius), são exímios mensageiros e viajantes astrais.

Por detrás de suas práticas xamânicas (sopros, benzeduras, baforadas, ervas, mandingas e mirongas), estão alinhadas verticalmente no éter, numa outra dimensão vibratória, naves espaciais de outros orbes, preexistentes à formação de vosso planeta, que auxiliam na evolução humana.

Por: Ramatís - In: Missão do Espirtismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário