21 de out. de 2019

Não vá à um terreiro de Umbanda





Não vá à um terreiro de Umbanda.

Depois que lá pisei nunca mais saí. O pior que não foi a tal da amarração não, tenho dúvidas do que me prendeu.

Talvez tenha sido porque quando você chega sente um cheiro delicioso de defumador.

As pessoas estão de branco, talvez por se tratarem de enfermeiros da alma trabalhando em nome do médico dos médicos chamado Jesus. É, Jesus está lá no terreiro. A imagem dele fica no topo do altar. Sem cruz ou qualquer coisa que nos lembre da dor, mas tem a imagem dEle com as mãos esticadas como se estivesse à nos abençoar.

Você senta na cadeira e começa umas orações. Ouve um pai nosso diferente, mas tão bonito quanto o que estou acostumado!

Começam os cânticos...


" Abrindo a nossa gira, pedimos a coração ao nosso pai Oxalá, para cumprir nossa missão".

A babá de Umbanda finaliza o ritual de abertura. Mais cânticos. Nenhuma adoração ao Satã até aqui. Os caboclos descem. Chamam um por um pra tomar passe.

Me sinto leve.

Depois me consulto com um velhinho que me fez chorar.

Finalizam a sessão com mais preces e cânticos.

"Eu fecho a nossa gira com Deus e nossa Senhora".

Nada de Diabo até aqui.

Depois daquele dia nunca mais quis sair.

E assim anos se passaram e meus olhos ainda enchem d'água ao cantar "Eu abro a nossa gira, na fé de oxalá! ".

Você vai se apaixonar.

Com amor!


Por: Autor desconhecido

Nenhum comentário:

Postar um comentário