30 de ago. de 2019

Reforma íntima do médium umbandista



A Mediunidade é uma condição do Espirito, faculdade manifestada no plano físico. Por ser espiritual, acompanhará o médium todo o tempo, onde quer que esteja. Portanto, ninguém é somente médium quando envolvido nas giras de trabalho do templo. Durante toda a sua vida, a mediunidade o acompanhará.

A postura de fraternidade e humildade que todo médium deve ter nos trabalhos de que participa, também deve se manter em suas actividades corriqueiras do dia-a-dia, em família ou no trabalho. Não há como ter atitudes dóceis e educadas durante as sessões e, ao sair do templo, esquecer-se de tudo o que as Entidades nos ensinam. Para obter o equilíbrio e harmonia em seu trabalho de caridade, o médium Umbandista deve ter a consciência e o bom senso de manter-se integro também fora do templo.

Todos somos capazes de vencer o desafio de nossa transformação como seres humanos, dando oportunidade ao espirito imortal de continuar seu caminho rumo à evolução. É certo que teremos de aprender a lapidar nossos sentimentos e racionalizar nossas emoções, e isso exige sacrifícios do ponto de vista material; mas melhor sacrificar-se no presente, para que nosso futuro possa ser melhor, servindo à evolução de nosso espirito. Toda virtude que formos capazes de desenvolver representará um dom, e esse dom, sendo verdadeiro, não haverá como perde-lo. Devemos então reconhecer e compreender nossas imperfeições para que possamos desenvolver nossas virtudes. Só dependemos de nós mesmos, pois o desenvolvimento espiritual é um caminho a ser trilhado individualmente.

Os médiuns são, em geral, almas que em algum momento de suas encarnações anteriores fracassaram e foram contra a Lei Divina. Por isso, em sua actual encarnação resgatam suas faltas sob o peso de compromissos e responsabilidades.

Podem ser espíritos que, em seu passado, viveram de certa forma as facilidades sociais de sua época, mas que por esse motivo acabaram por tombar mediante erros contra seus irmãos que viviam em patamares inferiores. Com isso, regressam ao plano terreno com o intuito de sacrificarem-se em favor de almas necessitadas, muitas das quais foram desviados por suas próprias mãos.

É certo que, todo médium que queira realizar suas tarefas com dignidade e de acordo com as leis que regem nosso planeta, deve estar totalmente identificado com os ideais de Jesus e sua doutrina de amor, alicerçando suas vidas mediante os ensinamentos do Evangelho. A eficiência de seu trabalho em prol da caridade dependerá fortemente de seu desprendimento das coisas da matéria, evitando os ambientes contaminados e viciosos, cumprindo seus deveres e buscando sempre melhorar o seu próprio ambiente, levando adiante a máxima do Médium Supremo: “Daí de graça, o que de graça recebestes”.

O ser humano que tem seu comprometimento com o auxílio e a caridade, o médium, que é capaz de vencer as suas fraquezas físicas, faz com que seu espirito esteja pronto a ingressarem esferas mais elevadas, por meio do trabalho virtuoso e no sentimento de seu dever cumprido. Devemos reconhecer e compreender nossas imperfeições para que possamos desenvolver nossas virtudes. Só dependemos de nós mesmos, pois o desenvolvimento espiritual é um caminho a ser trilhado individualmente.


Por: Revista Espiritual de Umbanda- Edição histórica Umbanda 100 anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário