26 de jul de 2019

Defume




Defume os teus braços por baixo e por cima para que tenhas as tuas asas livres para voar.

Defume a tua cabeça para limpar as velhas memórias que te levam a repetir o mesmo e te ligares com bênçãos do mundo de cima.

Defume a tua frente para espantar os pensamentos que apagou a tua visão, os teus olhos para que possas ver o que ainda não observas e os teus ouvidos para que ouças o chamado da tua alma.

Defume a tua garganta para soltar o nó que não te deixa falar e ligar a tua mente com o teu coração.

Defume o teu coração para espantar o medo, para que se vá bem longe onde não te possa encontrar, e se abra a receber o amor verdadeiro.

Defume seu plexo solar para que se dissipe a dor que você carrega dentro e possa saborear o prazer da paz.

Defume com fogo o teu baixo ventre para que se queimem os apegos, os amores que não foram, os sonhos que não nasceram e os filhos que não chegaram, para que se acenda a tua vontade de sentir, criar e começar de novo.

Defume com força o teu sexo, que é a porta de entrada para tirar o lixo que você recolheu de tanto tentar te amar e amar.

Defume seus pés para limpar as pegadas velhas e você possa dar passos novos, que se abra o caminho com este remédio para que o novo destino se manifeste diante de você.

Vira-te e defume assim a tua nuca lá onde se esconde o que te assombra.

Defume suas costas tirando o peso do passado e a história de cargas e peço que você se vire e coloque suas mãos em forma de tigela e defume suas mãos para tirar-lhe o dano e as amarras que tenham e que estas estejam abençoadas para dar e receber.

Por: Autor desconhecido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário