27 de jun de 2019

Pimenta – o fruto e folha de Exu



A pimenta simboliza descendência e abundância. É cheia de sementes e “explode” quando está suficientemente madura, espalhando fecundidade e criatividade. As características morfológicas da pimenta, tipo dedo-de-moça, da costa ou malagueta, cuja cápsula – fruto – contém inúmeras sementes expulsas quando ocorre a maturação, são consideradas quentes – fogo – e elemento (fruto ou folha) de Exu. Como todos os pimentos, é possuidora de um axé – força fluídica – capaz de reforçar o poder da palavra quando algumas de suas sementes são mastigadas liturgicamente na ponta da língua. Assim, nas invocações e evocações, as pimentas são indicadas para potencializar o verbo dos oficiantes para ligá-los ao Senhor dos Caminhos – Exu –, o que leva e trás, abre e fecha, fazendo com que os cânticos tenham “força” etéreo-astral.

As folhas das pimentas, com maior ou menor concentração de princípios ativos, podem ser preparadas adequadamente, dentro do fundamento e tradição de manejo adequado dos terreiros, para uso litúrgico em pessoas astênicas (sentimentos mórbidos e depressivos com enfraquecimento da vontade), comprovadamente magiadas, auxiliando-as positivamente para o restabelecimento da saúde psíquica e física.

A pimenta é dispersora de fluidos pesados e negativos por ser um fluido quente e desagregador. Pode ser usada para a proteção de ambientes, plantada em jardins ou vasos, próximo a janelas e portas de entrada. Ao mesmo tempo, também dispersa formas de pensamentos gerados por inveja e ciúmes, o popular “olho grande”.

Por: Norberto Peixoto - do livro Encantos de Umbanda

Nenhum comentário:

Postar um comentário