11 de jun de 2019

Como a Umbanda nos ensina? (unidade na diversidade)



Fala-se muito da Umbanda como sendo um “movimento de expressão por meio de diferentes rituais”. Isso ocorre porque não existe uma codificação que a ampare, fazendo prevalecer um modelo doutrinário que promova a uniformidade entre os terreiros. Ao mesmo tempo em que a Umbanda permite que as lideranças espirituais criem ritos, conforme a orientação de seus guias e o compromisso cármico evolutivo mantido com eles, é alvo de constantes conflitos, em razão das divergências apresentadas entre a infinidade de terreiros existentes, quando se comparam esses fundamentos.

Sem dúvida nenhuma, o universo de terreiros é uma gigantesca “caixa de ressonância” que somente reflete os seres humanos que o forma. Mesmo ao escutarmos as orientações dos Guias Espirituais de um mesmo centro, falando com vários médiuns, não chegaremos a uma conclusão definitiva do que é a Umbanda e de como está estruturada no Plano Astral.

A Umbanda não terá uma codificação, pois é uma grande e única escola, em que seu regimento pedagógico deve ser elaborado pelos próprios alunos. Isso pode parecer uma desorganização aos olhos apressados dos aprendizes que aguardam o mestre para fazer a lição, não sabendo que a instrução é exatamente esta: aprender por si, a se tolerarem nos erros e se unirem nos acertos. Portanto, o movimento de Umbanda tende, naturalmente, com o tempo, a uma acomodação ritualística e, consequentemente, a uma salutar uniformização que a torna ética e caritativa.

Por: Do livro UMBANDA PÉ NO CHÃO - RAMATÍS - https://www.livrariadotriangulo.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário