11 de mar de 2019

As falanges de Ogum




PERGUNTA.. - São "somente" os Caboclos de Ogum que têm esta autoridade de comando dos agentes mágicos - Exus?

RAMATÍS - O simbolismo da imagem de São Jorge vencendo o dragão - associado à atuação de Ogum e suas falanges - tem um sentido oculto. Como é muito baixa a moralidade da população habitante da psicosfera terrícola, ainda prepondera na maioria o eu inferior, com os instintos mais baixos, simbolizado pelo dragão que jaz dentro de cada um, e deve ser dominado pela "espada" - a vontade - do Eu Superior, como São Jorge imobilizando a besta caída. Os grandes "embates" em vosso amparo são conduzidos pelas vibrações e falanges de Ogum. 

Muitos espíritos que foram magos brancos desde os Templos da Luz da Atlântida atuam em posições de comando dessas legiões e tem autoridade conquistada no organizado movimento de Umbanda no Astral. Esses espíritos "especialistas" na Alta Magia Cósmica e conhecedores das conseqüências, dentro das leis de causalidade, da manipulação de energias, apresentam as condições necessárias para avaliar todas as faixas vibratórias e as exigências de intermediação dos Agentes Mágicos de cada Linha ou Orixá, de conformidade com as peculiaridades de trabalho de cada uma, para a cura e equilíbrio dos consulentes e sofredores. Isso não significa que "somente" os Caboclos de Ogum tenham essas características de trabalho ou que todos os Caboclos de Ogum assim procedam. É possível entidades que atuam mais diretamente sob outros orixás atuarem nas sete linhas da Umbanda, como por exemplo as que tem o número sete no nome. 

O número sete é uma identificação sacerdotal e de hierarquia, no Astral, dentro do movimento de Umbanda, em nomes que as caracterizam vibratoriamente: Caboclo Sete Flechas ou Sete Folhas na linha de Oxóssi, Caboclo das Sete Pedreiras na linha de Xangô e Caboclo das Sete Encruzilhadas na linha de Oxalá.


Por: Ramatís/Norberto Peixoto - Jardim dos Orixás - Editora do Conhecimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário