13 de nov de 2018

Patifarias!




Antigamente não havia problema algum em vestir Oyá de vermelho. Hoje é tudo Rosa Choque ou Rosa chiclé. Vermelho é um tabu enoooorme.

Antigamente, Acarajé era frito no Dendê. Hoje tem Acarajé no azeite doce pra não queimar Oxalá. (???)

Antigamente, a cada ano completado de feitura o orixá aprendia atos diferentes. Hoje você vê Iaô de Oyá despachando a porta e Santo velho dançando cantiga-farofa e pedindo pra parar porque está cansado.

Antigamente, o Rum era 21 cantigas, cada um com seus atos. Hoje é 7 cantiga arroz com feijão e olhe lá.

Hoje não se vê mais dança de guerra de Oxum e Obá.

Não se vê mais o foribale de Oyá pra Xangô, não se vê mais Oxumarê procurar hunjeve no barracão.

Mas qualidade da qualidade o povo manda ver...

É um tal de Onira que come no bambuzal, Onira que afunda o akarajé na água, Onira que come vatapá na pororoca... Onira que se veste de Oxum e Oxum que se veste de Oyá...

Hoje em dia orixá vem de bombacha, só falta dançar catira e tomar chimarrão.

O bom tradicional adê de latão desapareceu.
Hoje é tudo arame cromado com lantejoulas e pedras e mais pedras (isso quando não é de "prástico".

Hoje Omolu vem cheio de falsos dentes de plástico, comprados na 25 de março. Parecem porco-espinho.

Os ibirís de Nanã eram de nervura de palha e Búzios. Hoje vem com borboletinhas kuti kuti.
Até o Candomblé virou simplesmente Blé ! As coisas mudam...

Hoje o povo fuma dentro do Ronko, e os mais velhos ensinam o truque.

Oyá de rosa

Abian de rechilie

Logum Edé que sempre foi Oboro, hoje é uma mistura de Isabelita dos Patins com Pablo Vittar

Ayra virou Xangô

Santo de Ketu não chega no aguere

Zambele Zambele não chama santo de Oboró de todos os presentes

Ogum de faquinha do rocambole Pullman

O Ijexá virou Timbalada

Uma militância porca, falsas ideologias aliados a uma geração leite com pêra.... o resultado e esse. Que saudades dos tempos antigos.

O candomblé chora pede pra parar com tanta patifaria!!!!!!

Vamos refletir sobre isso!!!