26 de set de 2018

Visão cósmica da realidade




Algumas vezes, em minhas experiências meditativas, pude acessar um estado/lugar onde simplesmente havia o vazio. Ou, como dizem, o NADA. 

Naquele momento, notei que toda minha trajetória, minha vida mundana e seus valores, meus objetivos, meus medos, minhas conquistas, simplesmente pareciam ter pouco valor. 

Naquele momento, o vazio me preencheu. Sentir e ver toda aquela irrelevância de minha vida e tudo que eu julgava ser importante se resumir em nada, se mostrando tão fútil, me consumiu. 

Alí, para ser sincero, não havia nada para se preocupar e talvez, nem se ocupar. Simplesmente contemplar em profundidade o vazio. 

Isso causou desespero!

Após um tempo contemplando aquele vazio existencial, TUDO começou a vir a tona. Como se minha humilde mente humana necessitasse de trazer tudo que eu carregava internamente de volta a para minha visão mental. 

Aos poucos TUDO foi voltando ao normal, foram surgindo sentimentos e emoções (amores, angústias, alegrias, forças, medos), em seguida, surgiram as pessoas e seres que estão em minha vida (das mais próximas ao mais distante conhecido, incluindo os animais de convívio, pois são tão importantes quanto), minhas atividades diárias e sua relevância em minha rotina, meus compromissos, e assim por diante. Tudo ao qual, eu como pessoa me apeguei e me apego para moldar minha realidade foi surgindo. 

Ao fim, sentindo o Amor de cada troca e interação entre todas essas questões mundanas e espirituais, pude compreender que alí se manifesta a essência. Novamente indico...Alí se desenvolve o Ser. Na vida, o TODO se manifesta e interage. Eu sou parte Dele. Assim como sou parte do NADA. E senti, como um humano, a grande importância de se alegrar com cada situação ao qual eu me coloquei. Por algum motivo, ou não, algo (EU, a centelha) pode estar direcionando minha vida e me levando a entender toda essa teia.

Mas.... enquanto não entender, simplesmente vou seguindo, feliz e contente. 

O nada eu presenciei, tanto no mundo material quanto no espiritual, agora busco o equilíbrio entre esse TUDO e NADA, em todos os planos e escalas.

E assim, sigo lapidando minha obra.

Harmonização seria a palavra.