31 de ago de 2018

Prosa com preto-velho




Eita fia, deixa esse nego véio sentar do seu lado pra conversar...

Esse sorriso amarelo não engana esse véio não, fia tá triste né? 

Que bagunça que tá esse coração, nego véio sente daqui a angústia da fia. Quanta tristeza por trás desse olhar...

Esse mundo onde suncê vive é cruel né?!

Nego véio também sofreu quando passou por aqui, essas almas tão perdidas cada vez mais nesse negócio que vocês chama de ego, e é verdade viu fia?! Esse negócio destrói a alma.

Esse nego já foi rejeitado até por cavalo que não quer trabalhar com o nego, porque o nego não tem esses xiquê todo, nego é simples, de pé no chão, nego não pula e rudopia, nego anda devargarzinho, segurando a bengala pra não cair! 

Nego sabe das coisa fia, é devagar que suncê chega lá, devagarzinho, igual esse nego véio! 

Cuidado com o chicote que vocês chamam de língua, isso é um veneno viu fia?! E acalma esse coração, que o que é seu vem vindo, devagarzinho, mas vem vindo! 

Não esquece desse nego não viu fia?! Que esse nego não esquece de suncê!


Por: Adrielly Macena.