15 de jun de 2018

O Orixá do movimento!




Orixá do movimento, Exu conhece todos os segredos dos outros orixás. É o mensageiro entre Orum (mundo dos orixás) e Ayé (terra dos vivos); é o único que conhece o caminho entre estes dois mundos. Nenhum orixá é mais próximo da humanidade do que Exu. Ele traz a sabedoria dos orixás aos humanos e leva suas oferendas, por isso, sempre ele deve ser reverenciado primeiro. 

Nada acontece sem que Exu autorize, nem mesmo a repetição. Orixá questionador de tudo o que é normal e aceitável, prefere o indizível e o transformador. Nunca se acostuma. Para alcançar um objetivo, Exu trilha o próprio caminho e leva consigo aqueles que ele deseja.

Exu também é descrito como o guardião dos caminhos (encruzilhadas) e da própria procriação humana, ou seja, da sexualidade que está ligada a ele. 

Por conta disto, grandes falos aparecem nas imagens reproduzidas e reverenciadas deste orixá na África. 

Exu também é o equilíbrio entre as forças dos orixás e do próprio ser humano. É preciso, segundo os mitos iorubanos, saber conviver com os bens espirituais e materiais. Não se pode viver somente com uma destas potências. Exu é o que equilibra a espiritualidade e a materialidade. Mais uma vez, ele se confessa como o mais presente no cotidiano dos homens e mulheres. Da mesma forma que “é o grande mediador das forças contrárias da vida. Ao negociar com os deuses, como faz com frequência nos mitos iorubanos, ele reafirma um equilíbrio, por exemplo, entre a compaixão de Obatalá e o espírito guerreiro agressivo de Ogum” (FORD, 1999, p.225).