1 de jun de 2018

Como entender os Orixás?




Como entender os Orixás? Como eles podem agir em nossas vidas?

Essa história abaixo eu aprendi e sempre repasso para que todos possam entender de maneira simples.

*Deus (Olorum)* queria um bolo! Então, pediu a *OXALÁ* que preparasse um. OXALÁ, como TUDO QUE CRIA, disse que assim o faria, mas não tinha noção de como seria realizado esse tal pedido… Então encontrou OXUM e pediu-lhe:

*OXUM*, você que é DONA DO AMOR E SABE LIDAR COM OS SENTIMENTOS; convença com sua doçura os Orixás a ajudarem a criar um bolo para Deus.

Oxum disse que assim faria.

E com seu AMOR foi aos poucos convencendo os Orixás a ajudarem a fazer o bolo.

Mas faltava CONHECIMENTO de como iriam começar a realizar tal tarefa.

Então, pediram a *OXÓSSI* que desse a receita para que o bolo fosse feito.

OXÓSSI, em sua infinita SABEDORIA, se comprometeu a informar quais seriam os ingredientes a serem usados para o bolo.

E assim foi informando um a um. Mas disse:

– Eu sei a receita, mas tenho uma dúvida: qual ingrediente vem primeiro?

Qual a ORDEM? O que vai primeiro? A água? Os ovos? A farinha?

E agora?

Todos ficaram pensativos, mas ele concluiu:

“Quem pode ajudar é *OGUM*, que irá colocar tudo em seu devido lugar.

Ele é quem irá DIRECIONAR cada ingrediente”. E assim foi feito.

OGUM separou ingrediente por ingrediente e deixou lá, para que assim fizessem o bolo.

Mas então surgiu outro problema: como é que o bolo ganhará sustento?

Como ele terá EQUILÍBRIO?

Foi então que pediram para que *XANGÔ* equilibrasse e trouxesse sustento para o bolo.

Afinal, tudo tem a medida certa, e melhor não exagerar na dose.

Assim XANGÔ deu a ‘medida’ para que nada a mais fosse colocado no bolo que seria feito para DEUS…

Mas quem iria misturar todos os ingredientes e TRANSFORMAR aquilo em bolo?

Quem iria fazer com que ovos, farinha e outras coisas TOMASSEM FORMA?

Alguém precisava fazer o bolo, bater a farinha junto com o ovo até virar massa, e assim por diante…

Foram falar com *OBALUAYÊ*, que na hora se colocou à disposição e começou a misturar cada elemento, até o bolo começar a tomar seu formato.

Ingrediente por ingrediente, calmamente, OBALUAYÊ foi aos poucos misturando um a um, fazendo com que tudo o que foi separado, na dose certa, começasse a ter o formato de um bolo.

– Mão na massa OBALUAYÊ! – disse OXALÁ.

– Ótimo! – exclamaram os Orixás. Mas o bolo ainda não estava pronto.

– Ainda falta alguma coisa, pensaram eles. Depois de tudo feito, é preciso dar vida ao bolo!

Precisamos de um ‘forno’ para que se comece a GERAR dos elementos crus um delicioso e saboroso bolo e então levaram o bolo a *IEMANJÁ*.

Pediram a Ela que colocassem o bolo em seu forno para que assim fosse dado VIDA a ele.

IEMANJÁ se encarregou de GERAR aqueles elementos, ainda crus, e que resultariam num bolo para DEUS.

É hora de assar o bolo e *OMOLU*, junto a IEMANJÁ, se encarregou para que o bolo não queimasse e ficasse pronto na hora certa.

Afinal, quando algo tem que ser gerado, tem um TEMPO DETERMINADO.

E *NANÃ* também colaborou para que todos aguardassem com parcimônia que o produto final fosse depurado ao forno e assim ficasse pronto no momento certo.

Paciência para o bolo crescer!

E o bolo ficou pronto! Mas será que o bolo ficou bom?

Quem daria um bolo a DEUS sem experimentá-lo antes?

Quem está à frente de tudo e se coloca como o primeiro ou a primeira a enfrentar qualquer situação que seja?

*EXU* e *POMBAGIRA* apresentaram-se e experimentaram o bolo e, junto aos outros ORIXÁS, levaram o bolo pronto para DEUS!


Fonte: União da Luz