7 de mai de 2018

Mensagem...



Benditos companheiros integrantes, sacerdotes da magnânima umbanda e candomblecistas... será que estamos esquecendo de algumas particularidades dos arquétipos? 

Estamos nos esquecendo de outros trabalhos humanitários de nossas correntes, estamos nos esquivando das origens de outros trabalhadores de Oxalá? 

Muitos deles estão desconhecidos pelos mesmos trabalhadores do nosso “Gongá” Celeste! 

Quais são as verdadeiras missões planetárias? 

Existem muitas forças dentro de nós que nos entrelaçam as nossas origens siderais, e muitos ainda não se permitem adentrar no infindo conhecimento de si mesmos. Não há Forças Brancas Universais que não se atraem pela unidade e felicidade de todos nós, “Elas” visam a superação da humanidade inteira, perante as mais complexas adversidades e iniquidades coletivas ou individuais sob o manto do amor e humildade. Apenas, não se atraem para resolver barganhas ou compensações particulares - minimizam o nevoeiro a frente, para que caminhem com coragem como seres imortais - porque isso é problema seu! 

Fora isso... não fazem parte da Grandes Fraternidades que os libertam das algemas do sofrimento e ignorância espiritual, seja qual for, são apenas cópias imperfeitas de suas simpatias e sintonias, sob a arrogância e egocentrismo de vossas almas acomodadas. Somos uma das mais importantes forças da caridade universal e planetária! 

Despertemos a verdadeira manifestação dos Orixás, dentro de nós, materializando-se a esperança e fé no mundo exterior, materializando-se atitudes externas do acolher, com o seu irmão de trabalho ou não, porque..., é dentro de vocês que manifestam-se as mais extraordinárias forças de auto cura, como fontes divinais da harmonia universal - vós sois luzes! 

Como as ondas luminosas invisíveis, materializadas pelo poder da vontade humana, capazes de dissipar toda penumbra de si mesmos e do mundo ao seu redor! 


Por: Seu irmão menor - Zélio Fernandino de Morais, sob as bênçãos do meu Pai Caboclo Sete Caminhos do Espaço (encruzilhadas celestes ou energéticas)/Marcus Cesar Ferreira - MCF