18 de jan de 2018

Me valha!



Me valha dona Navalha
me leve em sua luz
pelo caminho escuro
da solidão da noite
quando retorno:

do trabalho
do estudo
do terreiro
da balada

ilumina mulher de meus dias
a minha caminhada

Eu vi malandra rodar a baiana
ela não tinha peixeira
mas, o canivete bem muquiado
livrou meu lado

Me leva, me lava, me valha
dona Navalha

Há quem digas 
que és mulher-homem

E eu sei que como Exu Mirim
que usa a energia infantil
a Senhora também
sabe manipular a masculina

Pois é preciso ser muito mulher
pra cumprir sua sina

Me valha!


Por: Alexandre Careca
Fonte: Ventania