29 de nov de 2017

Um esclarecimento espiritual dos Exus-Amparadores


"Muitas pessoas que correm para os lugares espiritualistas em busca de ajuda não merecem ser ajudadas. Não fazem nada para melhorar, só querem que alguém tire o peso de seus cangotes."

"O ser humano é muito falso mesmo. Vai pedir ajuda espiritual como se fosse um perseguido e injustiçado, mas nem conta sobres os desejos cruéis que carrega e que são a causa de sua desdita."

"Os obsessores são tinhosos mesmo e perturbam muito, principalmente se a pessoa lhes dá fartura de pensamentos ruins na cachola e lhes dá a guarida de suas energias."

"Algumas porradas espirituais que as pessoas levam são bem merecidas. Quem manda mexer com o que não deve? Quem enfia a mão no vespeiro quer ser ferroado. Depois não adianta reclamar!" 

As pessoas olham muito para os defeitos dos outros. Por isso não têm tempo de enxergarem suas próprias mazelas. Mas os obsessores adoram vê-las, ao vivo e em cores, direto dentro delas mesmas, de preferência acoplados juntos e fazendo a festa."

"Quem trabalha direito e segue seu caminho com honra não precisa de proteção espiritual. A luz de seus propósitos já lhe protege e inspira. Porém, em alguma necessidade a mais, pode contar com a gente mesmo. Nem precisa pedir. Quem tem raça na vida e ainda pensa no bem dos outros merece ser tratado com o devido respeito." 

"Tem muita gente fazendo coisa braba para os outros. Problema delas! Vão se ferrar, mais cedo ou mais tarde. Tudo o que elas mandarem na intenção de alguém irá voltar para elas mesmas lá na frente." Lei do retorno "Quanto maior for a má intenção de alguém, maior será a chusma de espíritos perversos agarrados em suas energias."

"Tem muita gente rezando para acabar com alguém ou para conquistar a força o que não merece. "

"A maioria das pessoas não tem vergonha na cara. Rezam pouco, pensam mal dos outros, estão cheias de medo e ainda deixam a guarda aberta por causa de seus rolos emocionais. Depois ainda ficam se perguntando o por que de tantas coisas ruins estourando em suas vidas pequenas e apagadas."

A grana que o pessoal paga em algum lugar para fazer coisa braba para os outros poderia ser usada para ajudar os pobres. Quem faz isso merece as porradas espirituais que leva e os obsessores que arrasta em sua companhia."

O dinheiro não é capaz de comprar uma noite de sono com a consciência tranquila. E é durante o sono que muita gente se ferra no Astral. Tem espírito brabo doido para fungar em seus cangotes e sugar suas energias. E tem gente que ainda acha que é pesadelo."

Quem é justo tem a proteção que merece. Pode sair do corpo sem susto. Está em casa e não tem o que temer. Pode voar por aí e aproveitar as horas de recreio espiritual. Os guias espirituais os orientarão e os protegerão de qualquer coisa, desde que sejam justos."

"Muitos já nos chamaram de polícia do baixo astral ou de lixeiros do Astral inferior. Pela parte que nos toca, muito obrigado. Mas nós somos mesmo é ajudantes de serviços gerais no Astral. Fazemos o que é preciso e justo, sem passar dos limites que os Maiorais da Espiritualidade nos determinaram. Nenhum de nós é traíra! Somos o que somos. Somos honrados e ninguém nos compra. E ai de quem tentar nos enrolar com promessas falsas ou intenções ruins."

E tem muita gente que entenderá o recado sim. E não é aquela gente que se acha espiritualizada não (se acham muito espertos, mas dançam feio em muitas situações que só a galera do Invisível é que vê)

Quem entenderá esse recado são as pessoas simples de coração e de mente. A elas o nosso respeito." 

Infelizmente ainda estamos em um grau evolutivo onde às vezes palavras não nos bastam, é necessário sentir na pele a dor para fixá-la no consciente e lembrar que por aquele caminho, podemos nos ferir gravemente, o mesmo, ocorre com o mundo espiritual, quando você começa a destoar o seu verdadeiro caminho, ignorando a sua vibração , é necessário um chacoalho para que você volte a andar nos trilhos, é aí onde, o exu atua. (pólo negativo) essa força entra em ação para que nos “acorde” e nos faça rumar ao caminho certo.

Laroyê!


Por: Wagner Borges