2 de nov de 2017

Orí saudável (a vasilha da identidade)


Para termos idéia da importância do Orí em relação aos outros Orisás, conta um itan que Ogun chamou Orí e perguntou-lhe:

“Por acaso não sabe que você é o mais velho entre os Orisás? Que você é o líder dos Orisás?“

Em outras palavras, podemos afirmar sem medo algum que, nosso Orí tem que ser cultuado antes de qualquer outro Orisá, não existe um Orisá que apoie mais o homem do que o seu próprio Orí.

Mas, como cultuar nosso Orí adequadamente?

Acredito que, antes de qualquer obrigação que se faça dentro de um barracão, devemos começar a "limpar" o nosso Orí, nos livrando de coisas que somente nós podemos fazer...maus pensamentos, maus sentimentos, vinganças, mágoas, grilhões do passado, são coisas que contaminam nosso Orí, que nos impedem de avançar, criam um julgo negativo constante sobre nós e nos desanima, enfraquecendo nosso Orí. Quando encontramos uma pessoa que apesar de enfrentar na vida muitas dificuldades, como maldade de outras pessoas, invejas, maldições, e continua encontrando recursos internos para seguir adiante, força interior, que lhe permitem enfrentar tudo de cabeça erguida, inclusive, muitas vezes, se tornando alguém ainda melhor do que era antes, sem duvida nenhuma seu Orí tem trabalhado em prol disso, em outras palavras, um Orí resistente e forte é capaz de cuidar do homem, de lhe garantir a resistência em suas relações com a vida, apesar das dificuldades que ele enfrente.

Para termos um Orí bom é de EXTREMA IMPORTÂNCIA cuidar sempre dos pensamentos, da saúde mental, buscando harmonia, paz e positividade. Nosso Orí conduz nossa vida conforme a nossa consciência, e não adianta dizermos que somos filho de tal Orisá, ou que a pombagira será a responsável por nossas condutas, se Orí é o desejo, a sabedoria, o "EU", a consciência que fará conduzir com inteligência e força nossa vida, em direção ao caminho mais voltado ao nosso real sentido de existir.

Por isso, de nada adianta ter Orisá, Exu, Pombagira ou sei lá o que, e possuir um Ori perturbado, em desarmonia, pois isso só nos levará a caminhos obscuros, distantes dos sonhos, cegos e surdos às mensagens dos nossos sagrados.

Motumbá.


Fonte: Soul Yawo