14 de set de 2017

Pisa na Linha de Umbanda

Ao “pisar na Linha de Umbanda”, o ser espiritual encarnado ou não, passa a acessar gradativamente novos níveis de consciência e percepção da realidade.

O pensamento lógico linear tridimensional passa a ser enriquecido com novas experiências internas e externas que expandem os limitados horizontes do plano físico. Isso permite ao ser espiritual resgatar sua herança original, sua pura Ancestralidade e sua autêntica Individualidade.

Isso permite ao Espírito sentir-se e aceitar-se definitivamente como Espírito, despindo-se das couraças milenares de ilusão que sufocam sua divina capacidade de criação e expressão por incontáveis existências. Sabe-se que uma “linha” é formada pela união de inúmeros “pontos”; antes de “pisar na Linha de Umbanda” o ser espiritual é apenas um “ponto” isolado e perdido, sem conexão real com a Espiritualidade.

Ao ingressar e compor a Linha de Umbanda, o Espírito deixa de ser “ponto” e passa a ser “ponte”, interligando seres e energias de múltiplos planos, condições e dimensões.

Para “pisar na Linha de Umbanda”, o “ponto” corajosamente toma a decisão de expandir seus acanhados e mesquinhos limites existenciais, emocionais e mentais.

Ao conectar-se amorosamente com outros “pontos”, passa a sentir a Corrente da Consciência Infinita percorrer seus veículos de manifestação; o ponto então, finalmente passa a ser ponte: ao mesmo tempo canal receptor e transmissor dessa Inesgotável Usina geradora de Luz Crística chamada Aruanda, administrada pelos Divinos Orixás.

O ser espiritual trafega pela Linha de Umbanda servindo e sendo servido, amando e sendo amado, iluminando e sendo iluminado. Cada conhecimento adquirido, cada emoção sublimada, cada vitória interior conquistada é uma conta colorida enfileirada na Linha de Umbanda, que unida às contas dos demais Irmãos e Irmãs, formam um infinito colar de contas, uma esplendorosa Guia de Sabedoria deposta como oferenda coletiva de Amor aos pés da Divindade Suprema!


Por: Caboclo Iguaratan/VANDERLEY ALVES
Fonte: Colégio Pena Branca - Publicado no Jornal de Umbanda Sagrada – Ed - 141 - Fevereiro de 2012