16 de ago de 2017

Injustiça?

O Caboclo Urubatão da Guia bateu no peito e saudou a toda assistência que se encontrava no local.

Abaixou-se no chão para traçar alguns pontos riscados, levantou-se e começou sua prédica dizendo:

- Saravá filhados meus ! Tupã que abençoe e proteja o caminhar de cada um de suncês!!!

- Palavra de Caboclo no dia de hoje é muito curta, mas é importante que seja dita.

- Caboclo hoje vai falar sobre aquilo que suncês chamam de injustiça, mas que Caboclo chama da Lei de ação e reação.

A assistência estranhou a comparação, mas o Sr. Urubatão continuou: 

- Quando um filhado é alvo de magia negativa suncês chamam de que?

- Injustiça!!!

- Quando um filhado fica muito tempo desempregado suncês chamam de que?

- Injustiça!

- Quando um filhado passa por insucessos nos relacionamentos amorosos, os filhados dizem que é o que?

- Injustiça!

- Só que esses exemplos que Caboclo deu, entre muitos possíveis, não são injustiça; suncês sabem por quê?

A assistência sinalizou negativamente e a entidade, então, disse:

- Por que injustiça não existe! Tudo que existe é a justiça de Deus!

A assistência remexeu-se nos bancos demonstrando perplexidade com a informação.

- Tupã é justo ou injusto?

- Justo!

- Sua criação é justa ou injusta?

- Justa!

- Tupã espera que suncês andem no mundo de forma justa! Que se relacionem com o próximo de forma justa, que se relacionem com o dinheiro de forma justa, enfim que sejam justos com tudo e com todos, pois só a justiça leva ao equilíbrio.

- Urubatão não fala do equilíbrio na balança não, mas do equilíbrio que leva a paz interior e ao bem agir.

Uma senhora de óculos e de aparência bem simpática levantou a mão e pediu a palavra:

- Sr. Caboclo, escuto tudo que está dizendo, mas como o Sr. explicaria alguém que procurou levar sua vida de maneira correta, mas que passou toda vida sem sorte no amor?

- Ação e reação, filhada! Suncês não estão passando pela primeira encarnação. Quem poderá afirmar, com cem por cento de certeza, que suas encarnações pretéritas tenham sido pautadas pela mesma conduta justa que suncê esclarece desenvolver na atual existência corpórea? 

- No grande Livro da vida Tupã tem registrado o caminhar de todos suncês neste mundo de terra. Onde há necessidade de reparação Tupã sabe e oportuniza tal possibilidade a cada encarnação.

- Tudo aquilo que suncê, filhada, chama de falta de sorte no amor, Caboclo chama de oportunidade de resgate cármico. Se suncê tiver humildade, resignação e entendimento de que tal experiência não é para seu mal, mas para seu crescimento espiritual, então terá aprendido a amar a Deus acima de todas as coisas, de qualquer circunstância e, talvez, quem sabe não tenha também a chance de experienciar de Sua misericórdia nesta área de sua vida? Porque o amor, filhada, cobre uma multidão de pecados!

- Além disto, filha, se suncê continuar procurando conviver com o próximo e consigo mesma de forma justa, estará semeando condições de colher uma próxima encarnação de grandes possibilidades para sua evolução espiritual.

Outra pessoa da assistência ergueu a mão solicitando consentimento para falar:

- Mas se os casos de magia negra não são uma injustiça, como é que são tratados no terreiro? O tratamento destes casos não seria uma forma de reparação da injustiça cuja vítima destas práticas estaria sofrendo?

- Filhado, todos os casos de magia negra que este Cabloco conhece começam, invariavelmente, da seguinte forma: os filhados sentem necessidade de obterem alguma coisa que, naquele momento, não são merecedores de alcançar.

- O tempo passa e como não alcançam aquilo que julgam ter direito de receber, passam a desenvolver internamente pensamentos de desamor, revolta, melancolia e descrença de que foram criados por Deus para serem felizes em toda sua plenitude. Tal atitude íntima faz com que atraiam psíquica e eletromagneticamente para sua aura e centros de força miasmas, bacilos e larvas astrais.

- A reverberação de tais sentimentos e pensamentos no campo íntimo cria condições ideais para a aproximação de espíritos descompromissados com a ética do Cristo. Pronto! Criada está a oportunidade para que seja vitimizado por uma magia negativa, uma vez que se apresenta psíquica, energética e eletromagneticamente sem suas defesas. 

- Quando uma pessoa que está magiada é tratada no terreiro, não se trata de caso de reparação da injustiça, mas de tratamento e trabalho para que ocorra a reforma íntima do outrora magiado.

- O que Caboclo quer dizer é que o magiado não é um injustiçado, uma vez que ele mesmo criou as condições para ser vitimado pela magia negra.

- Toda vez que Caboclo, com a permissão de Tupã, termina o desmanche de uma magia negra ele, seguindo o exemplo de Jesus, diz para o outrora magiado: “ Vá e não peques mais!"

- Tupã, filhados, a cada dia oferece condições para suncês serem felizes, mesmo que não sejam àquelas que, muitas vezes, suncês desejam.

- Revoltar-se contra os desígnios do Pai para a vida de suncês, isto sim é que Caboclo vê como uma grande injustiça!

- Procurem se apegar com Deus a cada dia de suas vidas meus filhados! Procurem honrar a vida que Ele deu a suncês! Procurem enfim, como disse um grande sábio, “desenvolver coragem para modificar as coisas que podem ser mudadas, serenidade para aceitar àquelas que não podem ser modificadas e sabedoria para distinguirem umas das outras”.

- Tenham fé filhados!!! Procurem esperar em Deus!!!

Outra pessoa da assistência levantou a destra e disse:

- O Senhor que me desculpe, Sr. Caboclo, mas minha situação de desemprego não pode mais esperar!
- Esperar em Deus não é ficar num canto, sentado e esperando o emprego!

- Mas eu sei disto Sr. Caboclo!!! Já espalhei currículo para tudo quanto e lugar e, até agora, nada.

- Filhado, no Livro sagrado está escrito: “ Ganharás o pão com o suor do teu rosto! “ O que isto significa para suncê?

- Que devo para trabalhar para o meu sustento!

- No Livro sagrado especifica qual tipo de trabalho que deve ser realizado para obtenção do pão de cada dia?

- Não. Até mesmo porque qualquer trabalho é trabalho!

- Então por que suncê está esperando um trabalho específico para começar a trabalhar?

- É que acabei de me formar depois de anos e gostaria de enriquecer meu currículo!!!

- Mas será que no momento é isto que Tupã espera de suncê? Será que, no momento isto é de seu merecimento?

- Não saberia dizer!

- Será que suncê, ao dizer que “qualquer trabalho é trabalho”, não estaria sinalizando que não quer qualquer trabalho, mas O trabalho? O trabalho dos seus sonhos?

- Por que o Senhor diz isto?

- Por que para Tupã nenhum trabalho é qualquer! Todo trabalho e todo trabalhador tem o mesmo valor aos olhos do Pai! Caboclo sente em seu íntimo que o trabalho que não for da sua área de formação, então para suncê é qualquer! Não que para suncê não tenha valor, apenas não tem o mesmo valor daquele que suncê almeja! Se não fosse assim suncê diria “ todo trabalho é trabalho”, ao invés de “qualquer trabalho é trabalho”. Reflita sobre isto filhado!

- Que Tupã abençoe e proteja cada um de suncês! Que o manto de sua justiça possa aquecer o coração de suncês com muito amor, paz, humildade, resignação e sabedoria, fazendo com que sejam derretidas todas as más tendências que vem limitando o olhar de suncês para o tamanho da misericórdia de Tupã-Nosso-Pai!

- Tupã que ilumine o caminhar e o coração de cada um de suncês!


Por: Caboclo Urubatão da Guia