18 de mai de 2017

Há fundamento em se estalar os dedos e bater palmas na Umbanda?

RAMATÍS - Infelizmente, a maioria de vós considera o ato de estalar os dedos ou de bater palmas reprováveis, de mínima importância diante do mentalismo da Nova Era, quando não são de opinião que é um tipo de maneirismo obsedioso, de "bengala" ou "escora" psicológica de médiuns deseducados, sendo que alguns espiritualistas zelosos da pureza doutrinária cerceiam e impedem as manifestações mediúnicas nesses moldes. Agravando o quadro das interpretações sectaristas, não menos equivocados, seguem uns poucos irmãos estalando os dedos por mimetismo, como
camaleões que se adaptam ao meio desconhecido e selvático, sem saberem ao certo os motivos desses suaves estalidos sonoros. 

Nem tanto lá nem tanto cá. A verdade é que vossas mãos, como vossos pés, possuem terminais nervosos, que se comunicam com cada um dos gânglios e plexos nervosos do corpo físico e com os chacras do complexo etérico-astral, como demonstramos a seguir: dedo polegar - chacra esplênico (região do baço); indicador - cardíaco (coração); médio - coronário (alto da cabeça); anular - genésico ou básico (base da coluna);. mínimo - laríngeo (garganta); na região quase central da mão, chacra do plexo solar (estômago); próximo ao Monte de Vênus (região mais carnuda logo abaixo do polegar - chacra frontal (testa). Essas terminações nervosas das palmas das mãos são há muito conhecidas da Quiromancia e das filosofias orientais.

O estalo dos dedos se dá sobre o Monte de Vênus e dentre as inúmeras funções conhecidas disso, está a retomada de rotação e freqüência do corpo astral, "compensando-o" em relação às vibrações do duplo etérico, aumentando a exsudação de energia animal - ectoplasma - pela aceleração dos chacras. Com isso se descarregam densas energias áuricas negativas, além do estabelecimento de certas condições psíquicas ativadoras de faculdades propiciatórias à magia e à intercessão no Plano Astral. São fundamentadas nas condensações do fluido cósmico universal, imprescindíveis para a dinâmica apométrica, e muito potencializadas pela sincronicidade entre o estalar de dedos e as contagens pausadas de pulsos magnéticos.

Já quando bateis palmas, sendo vossas mãos pólos eletromagnéticos, a esquerda (-) e a direita (+), quando as duas mãos ou pólos se tocam é como se formassem um curto-circuito, saindo faíscas etéricas de vossas palmas. Quando os pretos velhos em suas manifestações batem palmas, durante os atendimentos, é como se essas faíscas fossem "detonadores" de verdadeiras "bombas" ectoplásmicas que desmancham as construções astrais, laboratórios e amuletos dos magos negros.

Continuai estalando os dedos e batendo palmas, sabedores do que estais fazendo, despreocupados, conscientes e seguros de que as críticas se perderão como pólen ao vento.


Por: Ramatís/Norberto Peixoto - do livro JARDIM DOS ORIXÁS - Editora do Conhecimento.