21 de fev de 2017

As sete potências espirituais


As emanações oriundas do Divino, desde as dimensões imateriais sem forma, até os mundos manifestados na forma (astral, etérica e física) são expressas por altas Vibrações Cósmicas, cuja atuação se faz através de Sete Potências Espirituais.


Essas Sete Potências, dentro do conceito da Umbanda são os Sete Orixás: Orixalá, Ogum, Oxossi, Xangô, Yemanjá, Yori e Yorimá.

Sete são as Linhas da Lei de Umbanda, porque o 7 é o número sagrado de todos os símbolos, é o número de “expansão e centralização” da UNIDADE. É composto do ternário e do quartenário e dessa reunião sai as Variantes da Unidade e constitui o Sagrado Setenário. 

Os Orixás atuam em Faixas de Freqüência Vibratória ou Linhas, que se interpenetram e estendem essas Faixas Vibratórias sobre todos os seres, carnados e desencarnados, por afinidade. Portanto, Linha significa a Faixa de Freqüência Vibratória em que estão situadas as Entidades e todas as criaturas humanas, dentro da lei de afinidade. 

ORIXALÁ

Essa Faixa Vibratória representa o Principio que atua e regula o Eterno Masculino de todas as coisas.

Estas Entidades são espíritos luminares em missão, dentro da corrente Astral de Umbanda. Muitos são magos e foram altos sacerdotes ou iniciados dos antigos Templos Orientais etc. Essa característica dá margem ao entendimento errôneo de que exista na Umbanda uma Linha do Oriente. 

Seus pontos cantados são verdadeiras invocações de grande misticismo, dificilmente escutados hoje em dia. É muito raro assumirem uma "chefia de cabeça" e quase nunca uma função auxiliar efetiva.


YEMANJÁ

Yemanjá é a mãe do Principio úmido das águas que atua na Natureza das coisas, isto é, a Divindade da Fecundação, da Gestação ou do Eterno Feminino. 

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos que se apresentam na Umbanda sob a forma de Caboclas. Na adaptação popular dos terreiros diz-se como Linha do Povo do Mar, Povo das águas, Linha de Nossa Senhora da Conceição, etc.

Suas preces cantadas ou pontos têm ritmo triste, referindo-se sempre ao mar e Orixás da dita Vibração.

YORI

Essa Vibração representa o Princípio em ação na Humanidade, é o Princípio que controla a Lei da Reencarnação. 

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos que se apresentam na Umbanda sob a Roupagem Fluídica de Crianças. Na adaptação popular dos terreiros diz-se como linha dos Ibeijadas, de Cosme e Damião, dos Curumins, dos Ibejis, dos Dois-dois, dos Mabaças, etc.

Suas preces cantadas falam muito em papai e mamãe do céu e em mantos sagrados. Algumas destas melodias são alegres, outras tristes.

XANGÔ

Vibração de Xangô, que significa o Senhor da Lei ou da Balança Cármica, isto é, aquele que coordena toda Lei karmânica; o Dirigente das Almas, que afere nosso estado espiritual, que pesa os méritos e os deméritos das criaturas a fim de aplicar a Justiça, o Senhor da Balança Universal.

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos que se apresentam na Umbanda sob a forma de Caboclos. Na adaptação popular dos terreiros diz-se como Linha do Povo da Cachoeira, Linha de São Jerônimo, etc.

Seus pontos cantados são sérias invocações, de imagens fortes e podem ser cantados em vozes baixas.

OGUM

Ogum significa O Fogo da Salvação, isto é, o Mediador, o Controlador dos Choques Cármicos. Considerado como o Orixá das Demandas, das Lutas e das Aflições diversas. No sentido místico é a Divindade que protege os guerreiros.

É a Vibração sob a qual estão situados todos os Espíritos que controlam os choques conseqüentes da execução cármica, como cobranças e reajustes da Lei, dentro de seus efeitos. É a Faixa que atende nas demandas da Fé, das Aflições, das Lutas Morais, etc. 

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos que se apresentam na Umbanda sob a forma de Caboclos. Na adaptação popular dos terreiros diz-se como Linha de São Jorge.

Suas preces cantadas ou pontos traduzem invocações para a luta da fé, demandas, etc. 

OXOSSI

Essa Vibração significa Ação Envolvente sobre os Viventes da Terra, ou ainda, o Caçador de Almas. O Orixá Oxossi comanda a Vibração que influencia no misticismo das almas e assiste nos males físicos e psíquicos das criaturas.

Esta faixa vibratória espiritual usa muito o prana dos elementos vegetais, na terapêutica oculta.

É a Linha de Força Espiritual sob a qual estão situados todos os Espíritos que se encarregam, particularmente (dentre outros afazeres) da ação doutrinária ou de catequese.

Nessa Faixa estão situados todos os espíritos que se apresentam na Umbanda sob a forma de Caboclos e Caboclas. Na adaptação popular dos terreiros diz-se como Linha de S.Sebastião, dos Caboclos da mata, Linha da Jurema, etc.

Suas preces cantadas traduzem beleza nas imagens e na música: são invocações, geralmente tristes, às forças da Espiritualidade e da Natureza.


YORIMÁ

A Linha ou Vibração de Yorimá, significa Potência ou Ordem Iluminada da Lei. Essa é a linha ou a faixa afim sob a qual estão situados todos os Espíritos que podem exercer uma ação geral sobre os encarnados. 

É a Faixa Vibratória que congrega os mestres da magia, da terapêutica natural e oculta. Senhores do cabalismo, são, por excelência os consultadores dos terreiros, os mestres da Magia em fundamentos e ensinamentos, os Senhores da Experiência, adquirida através de seculares encarnações. 

Composta dos primeiros Espíritos que foram ordenados a combater o mal em todas as suas manifestações. São os Orixás velhos, verdadeiros Magos, que velando suas formas kármicas, revestem-se das roupagens de Pretos-Velhos, distribuindo e ensinando as verdadeiras mirongas, sem deturpações.

Nessa Faixa Vibratória estão situados todos os espíritos que se apresentam na Umbanda sob a Roupagem Fluídica de Pretos e Pretas Velhas. Na adaptação popular dos terreiros diz-se como Linha dos Pretos-Velhos, Linha de São Cipriano, Linha dos Cacarucaio e até como Linha das Almas.

Os pontos cantados são os mais tristonhos entre todos e revelam um ritmo compassado, dolente, melancólico; traduzem verdadeiras preces de humildade.


Por: Pequena discípula da Raiz de Guiné