15 de fev de 2017

A importância da corrente mediúnica

Olá irmãos e irmãs de fé! Começaremos o texto tentando definir literalmente o que são as palavras: corrente, elo e cadeia, assim, a compreensão do mesmo será muito mais fácil.

Desta forma, nada melhor do que o dicionário pra nós ajudar, onde essas definições são bem claras, fazendo que seja perfeito o entendimento geral do nosso texto.

CORRENTE: cadeia de metal; circulo sempre no mesmo sentido; ELO: argola de cadeia e por fim, CADEIA: série de qualquer coisa.

Desta forma, fica claro concluir que a corrente mediúnica de uma casa espiritual nada mais é do que o conjunto dos médiuns da casa, sendo usados como elos para se formar uma corrente parecida como aquela de metal que temos em nossa mente, sendo completamente necessário para que isso aconteça no mínimo dois elos, pois um só seria apenas um elo dessa corrente, não tento alguém para entrelaçar os braços.

Para que essa corrente construída seja forte e robusta para agüentar os trabalhos mediúnicos da casa a qual o médium ajuda, deve-se lembrar que o médium tem a preocupação de se destacar em seu templo através da dedicação e humildade sempre pronto a fazer a caridade, pois, o médium e o seu guia espiritual doam, e o assistente recebe. Com essas lições de preparação de um bom médium, acedendo sua vela de anjo de guarda, tomar seus banhos de descarrego, ficar em oração e vigília de seus pensamentos e todos aqueles itens já abordados no texto anterior, fica, assim, mais fácil a condução dos trabalhos espirituais.

Entretanto, um único médium poderá trabalhar sozinho, porém, o trabalho dependerá única e exclusivamente dele, mas como sabemos o risco é bem grande, já que às vezes a carga negativa do consulente é enorme, e para um único médium a absorver e se livrar da mesma fica bem difícil, o que PODERÁ ocasionar alguns tipos de desconfortos ao médium.

Podemos aqui, até relatar uma observação, a corrente é formada pelos médiuns independente do seu “dom” de mediunidade, sendo que o médium incorporado repassa ao seu consulente e a toda corrente formada fluidos de vibrações astrais, recebendo dessa forma radiações com várias cores diretamente em sua alma, tornando, assim, impossível uma casa espiritual de caridade funcionar sem um corpo mediúnico devidamente estruturado pelo amor, caridade e a fé.

Como já explicamos nada impede também de um médium trabalhar sozinho, porém, esse tipo de atendimento acontece geralmente na casa de morada do médium, para uma pessoa em especifico, que já com um estudo do caso não precisará de emanações de fluídos tão grandes, sendo possível o atendimento do mesmo por apenas um médium.

Vale lembrar também, que existem dois tipos de correntes nas sessões espirituais realizadas em local adequado, ou seja, barracões, tendas, terreiros, ou como preferirem chamar, elas são denominadas como corrente mediúnicas e corrente espirituais, a primeiro já foi amplamente explicada, já a segunda pode ficar para outro texto, concluindo apenas que as duas trabalham em conjunto para a harmonia dos trabalhos.

Sendo assim, podemos concluir que em nossa religião não há como ser individualista, tendo sim, que precisar da ajuda de seu irmão de fé, para que a corrente se forme forte o suficiente para segurar as aflições que atingem aqueles que vão ao Templo a procura de um alento e uma palavra amiga, pois a Umbanda é plural e pode-se considerar a “Umbanda de todos nós”.

Axé.


Por: Pai Rafael T’Logunèdé