10 de out de 2016

Umbanda tem fundamento é preciso preparar

Olá Irmãos de Fé, nós médiuns devemos manter um conjunto de regras que irão nos proporcionar serenidade e equilíbrio na nossa vida cotidiana e principalmente nos dias de trabalho nas sessões de Umbanda.

Sendo de muita importância os banhos de ervas, pois todos nós temos ao redor do nosso corpo físico um campo eletromagnético, composto por corpos sutis, que se denomina aura. Quando
passamos por situações negativas, energias desequilibradas se agregam à nossa aura, permanecendo lá por muito tempo provocando desequilíbrios. Quando tomamos um banho de ervas limpamos a nossa aura fazendo com que ela volte a funcionar normalmente, harmonizando os nossos chakras. Abaixo seguem algumas atitudes positivas que todo médium dedicado deve incorporar à sua rotina de desenvolvimento e trabalhos espirituais.

1 - A abstinência alcoólica de 24 horas, sendo no dia da Gira obrigatória. Pois ingerindo álcool o médium terá alguns dos seus sentidos alterados, dificultando ou inviabilizando uma conexão adequada com os Guias Espirituais. 

2 - Não fazer refeições pesadas, extremamente gordurosas e evitar o consumo de carne vermelha 24 horas antes da gira. Pois na digestão esses alimentos exigem um gasto muito grande de energia, que deve estar totalmente canalizada para o trabalho espiritual.

3 - Não manter relações sexuais 24 horas antes da Gira. Não é uma questão moral, mas sim porque o ato sexual consome grande parte da energia corporal do médium, havendo a necessidade de um período razoável, para o retorno da taxa energética equilibrada.

4 - Procurar manter um dia tranqüilo. Pois todas as vezes que ficamos agitados e exaltados fica mais difícil manter a concentração e conexão com as vibrações dos Orixás e Guias do Astral Superior que irão atuar na Gira.

5 - Procurar chegar com antecedência ao Terreiro é importante para que se possa trocar de roupa com tranquilidade, separar guias e materiais que serão necessários para a Gira, conforme o ritual adotado em cada Terreiro, se preparar e concentrar para o trabalho. Caso não tenha conseguido manter um dia tranquilo, chegando mais cedo ao Terreiro você terá tempo de se trocar com calma e se recolher em prece e oração buscando se acalmar.

6 - Acender sua vela para o Anjo de Guarda, preferencialmente de 7 dias. Tomar os banhos de energização (defesa) ou limpeza (descarrego), que pode ser feito com ervas, sabão da costa ou o sal grosso.

Banho de Energização/Defesa

Serve para a manutenção energética dos chakras, impedindo que eles se impregnem de energias nocivas, reativa os centros energéticos e refaz o teor positivo da aura. É um banho que devemos utilizar regularmente e que devemos tomar antes ou até mesmo depois de uma Gira espiritual. Para o preparo deste tipo de banho devem ser utilizadas ervas comoalecrim, alfazema e pétalas de rosas brancas ou amarelas.

Banho de Limpeza/Descarrego

Serve para livrar a pessoa de cargas energéticas negativas. Estamos o tempo todo em contato com diversas pessoas e ambientes onde o mal e as energias negativas são abundantes. Por mais que nos vigiemos, ora ou outra, baixamos nosso nível vibratório e imediatamente estamos entrando nessa egrégora de energia negativa.

Há dois tipos de banho de descarrego:

1° - O banho de sal grosso, que lava toda a aura desmagnetizando a pessoa, não deve ser jogado na cabeça. E após este banho devemos tomar imediatamente um banho de ervas como as citadas acima, para equilibrar as energias, uma vez que o sal grosso realmente é capaz de tirar toda a energia da aura.

O sal é um cristal e por isso emite ondas eletromagnéticas que podem ser medidas, elas tem o mesmo comprimento de onda da cor violeta, capaz de neutralizar os campos eletromagnéticos negativos. Este banho, não deve ser feito com frequência, uma vez por mês é suficiente.

2° - O banho de ervas como a arruda, guiné e o sabão da costa.

Sabão da Costa da África

Por volta do início do ano 1501, os navegadores portugueses chamavam toda a costa atlântica africana e seu interior como COSTA, e tudo o que se importasse daquela região também era denominado de “DA COSTA”. Assim, aconteceu com o Sabão da Costa que era importado pelo Brasil desde 1620. Ele vinha principalmente da Nigéria, da República do Benim e do Togo. OXÉ DUDU era o seu nome africano. 

A palavra sabonete é incorporada ao português no século 19, quando no Brasil tudo era “afrancesado”, e o “savonete” dos franceses é aportuguesado virando sabonete, pois antes disso era sabão que se falava.

O Sabão da Costa é um sabão sólido, de cor escura quase preta, feito com ervas medicinais, como o nó de pinho, óleo de côco, benjoim, e juá. Além de ser usado para banhos de descarrego, combate a caspa, cravos, espinhas, manchas escuras, coceiras e fungos do couro cabeludo, também controla o odor produzido pelo suor.

O Sabão da Costa é uma marca registrada, também existindo a versão perfumada com aroma de benjoim. É muito importante você verificar a procedência do produto, dando atenção ao fabricante, o selo de fiscalização e a data de validade, pois existe muito “sabão da costa” no mercado, fabricado “em fundo de quintal”, podendo ocasionar sérios problemas à sua saúde. 

Saravá, Irmãos de Fé!