2 de ago de 2016

Falando de Exu, falando de Pomba Gira! Fazendo polêmica na gira da vida!

Quem é esse povo? Quem é exu, de onde ele veio? Foi criação do demônio, foi criação de Deus? Ele é do bem ou do mal? É homem ou o diabo?

Exu, fale para mim, o que você faz, qual é sua função no Universo? Eu tenho um exu, vixe Maria, exu?! Onde você viveu, conhece por um acaso quem eu sou? Sabe das minhas dores, das minhas falhas, das minhas mentiras, sabe da minha inveja, da minha preguiça?

E tu minha cara Pomba Gira? Por quem devo te tomar? Por uma mulher da noite, uma mulher vulgar e que quando desce no terreiro tens a boca cheia de palavras de baixo calão e o que sabe fazer é somente arrumar macho, para as mulheres sofridas e que
ainda não entenderam o valor do amor próprio?

Então... É esse o vosso trabalho? Incorporar nos médiuns do terreiro, beber e fumar, gargalhar e fazer os consulentes rirem do teu despreparo e da tua vulgaridade, dizendo que tu foste uma meretriz ao longo de muitas existências e que ainda não aprendeu nada, a não ser beber, fumar e arrumar homens para mulher sozinha, ou destruir casamento, tirando da esposa o marido e entregando o em bandeja de ouro à amante, que pagou caro pelo teu árduo trabalho? Então é isso, faço a ti minha cara Pomba Gira essas perguntas? O que fazes da vida, visto que a morte não existe. Passeias pelo mundo espiritual inferior amealhando sortilégios para que quando desceres no terreiro, mostrar que a eternidade não te fez em nada, evoluir? Quem foi você aqui no orbe terreno, ou nunca encarnastes aqui? Sabe por um acaso o que ser mãe ou apenas foste mulher? Sabe a dor do amor, sabe o que eu carrego no meu coração ou me trata e me atende como se tivesse uma cartilha decorada? Fala para todas as mulheres a mesma coisa ou diferencia uma da outra, lendo o que vai a alma?

Lanço todas essas perguntas e espero a resposta, porque preciso entender um pouco sobre esses seres tão odiados, amados por alguns, mistificados por outros, incompreendidos por tantos. E aqui por perto sinto o senhor exu Caveira, pois que eu lancei tantas perguntas e ele quer responder algumas. Tem a palavra meu nobre exu. 

Exu Caveira. 

" Salve a força de cada um. Ouça moça, vamos às elucidações que foram por ti pedidas.

O que é exu? 

Exu é o senhor dos caminhos, que abre as estradas, exu é o ser que conduz o vento, que dá impulso nas águas, que leva o canto dos passarinhos até os ouvidos da raça humana, que move a força da cachoeira, que balança as folhas das árvores, que traz os pingos da chuva, que traz o vendaval. Exu é tudo isso e muito mais. Exu é quem aplica a lei do Cordeiro, se a moça caminha formosa e direito, Exu entrega a ela o prêmio, destrancando as portas, abrindo a porteira, tirando da sua bota, a poeira. Exu é o ser que ampara o homem quando o carro colide com outro, exu é quem freia a ação do mal, quando ordena o Cordeiro. Exu, minha nobre moça, é aquele que também desce a lenha, essa frase soa pesada, mas Exu é o ser executor da lei e da justiça. Quando o ser insiste percorrer no caminho do erro, sabendo que isso não é mais direito, porque ele já adquiriu o conhecimento, então Exu se faz presente e aplica nele, no ser renitente, a lei de pemba, descendo no lombo, do moço a lenha. 

Exu é quem conduz a dor, é ele quem faz nascer o câncer, a lepra, a virose, a doença, curando a descrença, trazendo para a alma a renascença, que às vezes só entende com o sofrimento. Exu é quem traz o alento, depois que o moço compreende o ensinamento. E todo seu trabalho, toda sua missão é conduzida e autorizada pelos Orixás. Exu não se incomoda com o temor, nem com a imagem dele que foi criada pelo homem, dizendo que ele é o diabo, que ele é o demônio e que trabalha para o mal. Vou explicar porque isso não nos incomoda. 

Quando Exu foi por Deus criado, porque ele, não é filho do Diabo, porque esse é infértil, a ele foi dado a sua missão, era executar a lei, doesse ou não. Então analise comigo, que sou exu Caveira, um simples ser que aprende nessa falange dos nobres Caveiras, quando morre um ente querido, que para teu coração era perfeito, ele, tem um ou dois inimigos, encarnado ou desencarnado e que vai ao cemitério para o plasma que ainda existe nele, roubar, para o trabalho dos magos negros. 

O que faz então Exu? Por um acaso também vive no cemitério? Ouça moça, Exu, como eu te disse, é movimento, seja na vida ou na morte, seja no presente, passado ou futuro, Exu age em tudo. E os exus Caveiras e outros que atuam na calunga pequena, aplica a lei, impedindo que do teu ente querido seja roubado o que é pelo mal, profanado. Exu é isso moça. E para ele se é teu desejo vê-lo como demônio, ele gargalha, porque às vezes assim se apresenta, quando teu inimigo contra ti, intenta. E ele foge apavorado quando caminha para violentar a moça que não tem isso no seu carma, então Exu aparece vestido de capa, usando tridente, esquecendo que foi um dia, gente, plasmando em si a forma do diabo, mostrando na sua face o que o ser carrega dentro de si. Vendo o diabo o homem estremece, larga a moça que não precisava padecer, então sai gritando ao mundo que Exu é do demônio e que para ele se fez aparecer. 

E eu faço então a pergunta: Tu homem insano , o que era naquele instante em que tomava a moça nos teus braços, arrancando-lhe com força a roupa, deixando a sem reação, presa a tua força de abutre que achava no direito do repasto? Sou eu, ou Tiriri, ou Marabô ou Tranca-Ruas o diabo? Olhe para dentro de ti, pois que eu o conheço, Gira-Mundo sabe da vossa fama, de homem que violenta, que adentra o solo da igreja, dizendo se ovelha do Cristo. Então se impediram a tua ação, se esse ser, Exu é por ti visto como o diabo, então, foi feito o nosso trabalho, kkkkkkkkkkkkkk. 

Exu é isso. 

E quando esse homem violenta o sagrado feminino, em outro tempo ele adentra o orbe terreno na condição de corpo frágil, e por outro homem, tem o seu corpo profanado, cumprindo assim o mandado. E sei que cala dentro da moça, a pergunta, senhor Caveira, se ontem ele foi o violentador e hoje é o ser em corpo de mulher que é violentado, então até quando viveremos esse maldito legado? 

Ouça moça, aquele que com ferro fere com ele será ferido, fala do nosso amado Cristo. Ouça bem o que vou esclarecer, para que entenda que o círculo não precisa ser vicioso, quando o ser for menos orgulhoso. Nada na natureza é desperdiçado, se o moço for um pouco do evangelho letrado, vai entender do que eu falo; mas se não entendeu, vou explicar. O mal ainda impera na Terra, o mal ainda domina a raça humana, que movida pelo orgulho, pela vaidade que tanto fala a velha Maria Conga, vai disseminando desgraça, e quer sair disso ileso achando que Deus é um engodo ou uma farsa? Tudo é anotado, e quando aquele humano que profanou o sagrado, retorna e em contato com outro que carrega em si esse pecado, o pecador se faz dele o pasto, porque um para o outro foi pela lei arrastado. 

Exu aplica a lei da atração e junta os dois seres que precisam aprender, ajudando os dois, entender, quando Cristo veio nos dizer, que façamos ao outro, somente aquilo que desejamos para nós. Exu minha cara moça, sabe quem é você, quando destinado a te proteger, se faz conhecedor de suas fraquezas, das suas dores, não somos seres alienados, que agem manipulados. Sei dos seus engodos, das suas manipulações, sei das suas mentiras, sou seu amigo, mas trabalho para o Cordeiro e meu dever é levar a moça de volta a ele, ainda que seja pela Dor, nossa irmã tão sagrada e ainda tão incompreendida, assim como é Exu. Sei dos teus erros e não estou aqui ao teu lado para te julgar, porque Exu, também foi homem que viveu na Terra, que amou, que odiou, que feriu, que sentiu. Que sabe de vaidade, de orgulho, de magia, que trabalha com o sagrado. 

Exu, é o Orixá nos que nos comanda e existe uma hierarquia que é respeitada. Vou falar um pouco disso para que tu entendas. Sou Exu Caveira. – Minha nossa pensa a moça, Caveira?! Sim, minha cara, um humilde falangeiro dessa ordem, onde depois de muitos erros cometidos em fins do século XVI, levado pelo meu orgulho de nobre fidalgo, tentei matar a mulher amada, mas isso é uma longa história que quem sabe um dia a Vó Conga venha a ditar, no desejo de nos desmistificar. 

Sou exu Caveira um falangeiro que fui destinado a ser seu protetor. A mim, foi incumbida a missão de aplicar a lei nos teus passos, mesmo quando isso vos causa dor, porque se bem sabe, essa irmã Dor, é ainda o que nos move para novos caminhos. 

Sou exu e trabalho na falange do senhor Exu Caveira, pois vejo muito engano, os seres humanos brigando por conta de um exu, achando que só existe um João Caveira, um Tranca-Ruas, um Marabô e assim segue. 

Ouça moça, para que tu aprendas, somos seres de uma grande falange, somos exus Caveiras que trabalham na falange e não somente um exu Caveira e assim acontece com outra falange, como do senhor Tranca-Ruas e outros. Espero ter colaborado com as vossas perguntas. 

Em outra parte dessa simples prosa, Maria Padilha, vai falar o que é uma Pomba Gira. Ainda existe muito engano, somos endeusados por uns e odiados por outros. O que mais nos incomoda? O endeusamento sou franco na resposta, pois que quando endeusados pelos humanos encarnados, nos preocupamos com tamanho despreparo para o trabalho. Somos seres filhos de Deus, que buscam através do trabalho em prol da humanidade, subir um degrau na escalada espiritual. 

Não somos anjos e nem demônios, mas não se iluda, porque podemos nos apresentar de uma ou de outra maneira, dependendo do que tem dentro de ti, moça. Kkkkkkkkkkkkkkk... sou exu Caveira, salve sua força moça. 


Por: Edleusa Tavares - médium do Cantinho de Francisco de Assis