12 de ago de 2016

Como a Umbanda se mantém?



PERGUNTA: Observamos que os frequentadores do terreiro vem sempre pedir algo para si, raro são os que vem doar, raríssimos os que atendem ao chamado da mediunidade para serem ativos trabalhadores. Como a Umbanda se mantém?



PAI TOMÉ: Meus filhos amados, da nossa esfera de trabalho para a Terra, o terreiro é o Espaço Sagrado onde se realiza a ligação vibratória entre os dois planos da vida imortal. Os que nos procuram são como os viajantes exauridos que encontram no caminho uma parada para descanso com fecundo poço d'água, no qual saciam a sede imediata e enchem o cantil do bornal do espírito para continuarem a longa caminhada. Contudo, lá fora na estrada da existência diária, são para com os outros desertos áridos de individualismo, pela fixação mental do querer tudo para si mesmos.

Reflitamos que é justo pedir; entretanto, é preciso igualmente saber receber a água das dádivas concedidas e redistribuí-las. Deus dá e é provedor sempre, igualmente a todos e nada pede para Si. A própria natureza, moldada por Deus oferece-nos as mais profundas lições neste sentido: a fonte recebe as águas e as espalhas em regatos cristalinos; a árvore frutífera ganha o benefício da seiva e dá os frutos curvando seus galhos para que os homens os alcancem; o mar forma as nuvens que fecundam a terra seca fazendo chover pingos de vida, e as montanhas em suas formações rochosas amparam os vales verdejantes. Somente os homens costumam receber e nada dar em troca.

Se a Umbanda dependesse tão somente das criaturas de senso comum, que querem tudo da mediunidade para si próprias e quase nada realizam de doação para os outros, muito menos como médiuns a favor da Lei Divina e desta para a faina sofredora da humanidade, de há muito tempo o "poço" que mitiga a sede das almas teria secado. A Umbanda se mantém pela abundância inesgotável da Fonte Divina da Criação, provinda do amoroso Deus Criador.


Por: Pai Tomé/Norberto Peixoto