25 de jul de 2016

O cuidado com a emissão de pensamentos nos trabalhos de magia


PERGUNTA: - Na umbanda, recomenda-se muito cuidado na emissão de pensamentos nos trabalhos de magia, que sempre devem ser para o bem, senão haverá o risco de que retomem para o emissor. Isso é possível?

RAMATÍS: - Uma forma de pensamento, para atingir um ente, deve encontrar afinidade. Os afins se atraem. É uma das leis cósmicas imutáveis, sendo improvável que uma forma de pensamento criada para o mal consiga se fixar no
campo áurico de um homem totalmente devotado ao bem e que não tenha registros negativos, atemporais, de vidas passadas, impressos em seu corpo mental inferior. Observai que os missionários são "inatingíveis". Suas vibrações crísticas são como uma barreira intransponível para tudo de mal que se possa desejar contra eles. Dessa estirpe, temos seres da envergadura de Chico Xavier, Mahatma Gandhi, Allan Kardec, Zélio Fernandino de Moraes, Francisco de Assis, Apolônio de Tiana e o inigualável Jesus. O risco que corre o mago negro é que o mal que deseja, ao criar suas formas de pensamento contra um homem de bem, retome em igual ou maior proporção para si, pois, ao não se fixarem no alvo visado, essas formas se voltam para o seu criador, pela lei natural de atração. Por isso é que, na umbanda, existem os locais de descarga dentro do templo, para onde todas as formas de pensamento que tentam atingir a corrente mediúnica são direcionadas e desintegradas junto à natureza, quando não retomam aos seus mandantes.

PERGUNTA: - Solicitamos maiores elucidações sobre o retorno à origem das formas de pensamento quando não conseguem atingir o alvo, pela importância do tema, que nos parece ser um dos princípios basilares da magia. Pensamos ser fundamental à segurança dos sensitivos, na apometria ou na umbanda, que na maioria das vezes são alvos de assédios pelos interesses malévolos que contrariam. É assim?

RAMATÍS: - Por isso os aprendizes de outrora, candidatos a iniciados, passavam anos de preparação antes de começarem os trabalhos práticos de magia e as incursões no mundo oculto. A mente pura e adestrada pelos pensamentos disciplinados e o coração tomado de bons sentimentos são as melhores proteções contra os assédios das sombras. Os exercícios de preparação, que duravam anos, naqueles que conseguiam suportar até o final todas as iniciações diante dos severos iniciadores, "construíam" nos corpos mental e astral matéria mais sutilizada, tirando-os da faixa de freqüência das vibrações baixas e densas e dos ataques das zonas trevosas do Espaço.

Os magos brancos de antigamente sabiam que os maus pensamentos projeta dos contra os corpos purificados retornariam pelas mesmas linhas magnéticas que os trouxeram, levando-os de volta aos emissores. O mago negro, criador da forma de pensamento maldosa, impregnada de baixas vibrações, possuindo em seus corpos matéria similar a ela, naturalmente sintoniza com tais vibrações enfermiças, sofrendo os efeitos de arraste da "entidade" que ele mesmo plasmou para o mal, afetando-o mental, astral e fisicamente. Vossas mentes são como transformadores de voltagem: estão sempre criando, por meio de continuas ondas emitidas, formas de pensamento astral-mentais que servem como poderosos condensadores das energias cósmicas. Num templo consagrado, todas as emanações mentais são utilizadas para o bem, e os fiéis e crentes estabelecem uma ponte que faz fluir as forças divinas que se rebaixam para vos auxiliar. Da mesma forma, em todos os lugares em que vos encontrais, podeis estar sendo criadores ou alvos do processo inverso, em que mentes empedernidas no mal anseiam por vossos pensamentos, eivados de egoísmo, que farão o corpo mental inferior "exigir" ao corpo astral que expresse sentimentos negativos, advindo então as formas de pensamento pardacentas, densas, pegajosas e causadoras de mal-estar, que se tornam valiosos artificiais para os magos negros.

Projetar e materializar nas dimensões rarefeitas as formas que vossas mentes constroem é lei da natureza. O que os sensitivos devem saber é que para manipular as energias cósmicas para o bem, no auxílio ao próximo, devem ter em si as fortalezas crísticas do amor, do altruísmo e do desinteresse pessoal, o que os fará instrumentos seguros para os espíritos do Além.


Por: Ramatís e Babajiananda/Norberto Peixoto - do livro: Vozes de Aruanda - Ed. do Conhecimento