2 de jun de 2016

Exu por outra visão

Antigamente quando éramos crianças, nossos pais ou avôs que frequentavam a Umbanda ou religiões do panteão afro-brasileiro, nos contavam aquelas típicas histórias prontas, para nós com facilidade entendermos o que era a essência de Exu, isso nos ajudava muito, porque de uma forma simples conseguíamos entender que Exu explora nossos conceitos, principalmente quando mesmo inconscientemente agimos com hipocrisia. Esses dias encontrei este conto num vídeo na internet, e me fez lembrar desta história:

Estavam dois homens na rua conversando, quando um falou para o outro:
- Você é um grande amigo, jamais troco sua amizade por nada, muito menos um dia sequer brigaria com sua pessoa, por absolutamente nada!

- Carrego o mesmo respeito por sua pessoa, nada fará com que a gente brigue um dia, faço tudo por nossa amizade e a respeito antes de qualquer coisa! (respondeu o outro homem)

Estava Exu atrás de uma árvore escutando toda a conversa, quando decidiu pegar um chapéu, que de um lado era vermelho e do outro era preto, e então passou no meio dos dois homens, foi daí que surgiu outro assunto entre eles:

- Meu amigo, você viu aquele homem um tanto mal educado que passou entre nós com o chapéu vermelho na cabeça? (perguntou o homem)

- Vi sim, realmente este homem era mal educado, mas ele usava um chapéu preto e não vermelho! (respondeu o outro homem)

Daí foi uma confusão danada, os dois homens começaram a discutir a cor do chapéu até se agredirem fisicamente, foi quando Exu passou novamente entre os dois, virou de frente para ambos e eles viram que o chapéu era vermelho de um lado e preto do outro. Exu com toda sua sabedoria saiu rindo, vendo que mais uma vez o ser humano se deixou levar pelo orgulho, vaidade, soberba e outros sentimentos mesquinhos, mostrando não ter equilíbrio e nenhum senso de raciocínio lógico, e muito menos humildade e respeito para realmente colocar a amizade acima de uma simples discussão sobre uma cor de chapéu.

Pois bem, esta é a essência de Exu, ele não arrumou a encrenca, muito menos causou isto, simplesmente com um ato singelo colocou a prova a amizade dos dois sujeitos, Exu colocou o conceito do ser humano e sua consciência para trabalharem, expôs o que muitos deixam guardado, abrindo o que não lhe pertence, fazendo assim por onde agirem com hipocrisia e falsidade prejudicando o seu próximo... Exu rápido como ele é, fez por onde os dois homens após a contradição de jurarem uma amizade respeitosa se envergonhassem e pensassem no que fizeram e no que são como pessoas.

Laroyê Exu ê Mojubá!

OBS: Este conto do qual citei é antigo, não conheço o autor, um conto dito pelos antigos para as crianças na época.


Por: Pai Carlos Pavão