6 de jan de 2016

Umbanda - Gira de Caridade

umbanda, gira
PERGUNTA: O que os umbandistas chamam de "gira da caridade", seja de caboclos ou pretos velhos, nos parece algo indisciplinado, uma algazarra. Cada entidade "incorporada" ou cada médium trabalhando a seu modo, não existindo uma padronização no tipo de atendimento ou consulta. O que tendes a dizer a respeito?

VOVÓ MARIA CONGA: Não é nenhum tipo de padronização que garantirá a curadora assistência espiritual aos consulentes. Gestos diferentes, um tipo de benzedura aqui, um passe localizado ali, uma maceração de erva lá, um assobio ou sopro acolá, todos são recursos de cura utilizados. Ao contrário das impressões deixadas nos apressados olhos humanos, a disciplina é enorme e rígida, existindo forte amparo astral, hierarquizado nas casas sérias e moralizadas, embora cada entidade tenha a sua liberdade de manifestação na prática que lhe é mais peculiar, e nessa aparente algazarra e burburinho vão os homens se modificando para melhor e todos continuam evoluindo juntos, tanto na carne como no Plano Astral.

PERGUNTA: É de bom alvitre que em muitos casos até os consulentes fiquem mediunizados e "recebam" os seus guias ou protetores espirituais?

VOVÓ MARIA CONGA: Sim. Naqueles consulentes que têm comprometimento com o mediunismo e já estão educando suas mediunidades, "receber" seus guias ou protetores espirituais os aliviará das cargas deletérias, dos miasmas e das formas pensamentos que estão "grudadas" nas suas auras e que são uma espécie de campo energético que todos vocês têm, sendo o corpo físico a parte visível, a energia mais condensada desse complexo energético, ou seja, dos homens. Esses enviados espirituais que neles incorporam imprimem-lhes no corpo astral as suas vibrações mais elevadas que são afins a esses irmãos muito antes da atual encarnação, e, pela alteração de freqüência imposta, essas placas e agregados destrutivos são liberados e retomam para a natureza. Regularizam os chacras desarmonizados e alinham as vibrações do corpo astral e do etérico. Naqueles médiuns ainda deseducados, esse contato lhes serve para mostrar a importância e a necessidade de procurarem se desenvolver. Claro está que essa intervenção do Além se dá para o auxílio do aparelho mediúnico, e se torna dispensável nos mais experientes, que já aprenderam a se livrar dessas cargas negativas sozinhos.


Por: Vovó Maria Conga/Norberto Peixoto - Do livro: Evolução no Planeta Azul - Editora do Conhecimento