4 de dez de 2015

Velas

velas, umbanda
Não é somente a chama da vela que importa. Sua cor também influencia no resultado da força ou do poder ativado. Lembrando, espírito possui força e divindade possui poder. A divindade alimenta-se diretamente de Deus transmitindo poder à criação. A divindade é a manifestação de Deus exteriorizada. Nós, os espíritos, alimentamo-nos do poder das divindades e emitimos força. 


As velas podem dar base tanto a firmezas, que são portais transitórios, quanto a assentamentos, que são vórtices permanentes. Vela é ponto de ligação, de ancoragem energética, é porta de acesso. 

Cada cor possui relação com um ou mais Orixás. A chama da vela ativa a energia envolvida, pois, em regra, não utilizamos uma vela sem acendê-la. Também não usamos vela amarela ou preta para Oxalá. Assim, qual o motivo de usarmos uma vela branca para Oxalá? Não seria somente a chama a ser utilizada? Se for só a chama porque temos velas coloridas? Assim, é fácil perceber que existe algo oculto neste processo.

Não desejo ser o dono da verdade ou apenas repetir o que me foi dito. Pretendo transmitir aquilo que aprendi reinterpretado de acordo com aquilo que já vivenciei. Princípio da descrença. Não acredite em nada do que digo ou do que escrevo. Tenha suas próprias experiências. Ao acender uma vela branca vejo algo diferente de quando acendo uma vela vermelha. Por vezes, vejo formas sendo emitidas pela chama da vela. Em outras ocasiões, sinto energias diferentes. Contudo, em todos os casos, é diferente acender uma vela branca e uma vela vermelha. Não estou me referindo ao conteúdo sugestionável do ritual e sim, ao conteúdo mediúnico envolvido. Às mensagens que capto na ocasião. Uma vela branca acesa (dentro do ritual próprio e não apenas para iluminar o ambiente) emite símbolos e transmite energia própria. O mesmo ritual feito com uma vela vermelha emite símbolos e transmite energia diferente. Uma vela branca emite símbolos espiralados ou cruzados e sua energia é envolvente, branda. Um sentimento sublime e motivador da religiosidade. Posso estar apenas inventando. Quem sabe? Experimente e sinta. Permita-se discordar de mim. Uma vela vermelha emite símbolos mais retos e sua energia é mais provocativa. Não me deixa sublime e sim, energizado, empolgado, vivo. A roxa me comprime da cabeça ao chão. Sei que são sentimentos e estes, são subjetivos. Contudo, foi a única forma de transmitir minha experiência aos leitores. 

Assim, concluo que cada vela possui um poder único. Ritualizá-las e acendê-las causa mudança no local direcionado ao seu alcance. A cor da vela altera a energia emitida. Podemos forçar a modificação desta energia por meio de palavras ou rezas direcionadas. Contudo, por minha experiência, o resultado não é satisfatório. A vela parece ter vida própria após sua ativação (ritual mais acendimento) e assim, seria como querer mudar a essência de um ser simplesmente impondo nossa vontade. Parece-me também que estas percepções podem mudar de pessoa para pessoa e de casa para casa. Não foi o que encontrei no dia-a-dia. Quando alguém deseja oferendar Xangô não acende uma vela rosa. Parece que algo está errado e o resultado não é alcançado com plenitude. Não é satisfatório. Quando acendemos uma vela marrom ou vermelha para Xangô tudo parece estar no seu devido lugar. A cor, neste caso, depende da qualidade do Xangô oferendado. Xangô guerreiro, que também podemos falar entrecruzado com Ogum (Divindade da guerra) ou Xangô Aganju, todas estas formas de enxergar uma qualidade de um Orixá é relativa e de acordo com a tradição de sua casa de axé, veste ou “pega” vermelho. Xangô Agodô tem predominância do marrom. É a qualidade de Xangô que usa dois oxês (machados), ou seja, a imagem de Xangô mais conhecida na Umbanda. 

Utilizei estes exemplos para esclarecer que as cores das velas possuem relevância e não só sua chama. O conjunto do poder ígneo (do fogo) mais a cor que alimenta este fogo emite energia e símbolos próprios. O fogo da vela é alimentado por seu material colorido seja branco ou preto ou vermelho e este alimento altera o resultado e direcionamento do ritual realizado. 

Podemos acender somente velas brancas? Sim. A cor branca está em contato com todas as forças e poderes de nossa religião. Contudo, o direcionamento das cores potencializa o resultado pretendido.


Por: Adérito Simões