27 de nov de 2015

Obaluayê – Regente da Transformação


Estamos no final de mais um ano. Ás portas de mais um ciclo, que deve ser marcado pelo poder transformador, para todos nós umbandistas espiritualistas cristãos, nessa nossa trajetória pelos caminhos dessa encarnação em busca da iluminação, da evolução, da maturidade e, portanto, da Paz, do Equilíbrio e da Harmonia de vida que, para nós, é proporcionado por Jesus e Seu Evangelho Libertador. É sempre momento de refletirmos, debruçados na janela da esperança, sobre os atributos e mensagens divinas que nos oferecem os Sagrados Raios com seus Orixás. No sétimo Raio vamos encontrar o amado Orixá Obaluayê, que vibra sobre o nosso andar como transformador e purificador à luz do Evangelho de Jesus, e que nos é aberto à reflexão através da nossa querida Umbanda. Ela, a Umbanda Espiritualista Cristã, é para nós que a praticamos como religião, instrumento que nos proporcionará o avanço nessa caminhada. A Umbanda desce do Plano Espiritual, sob os auspícios de Jesus, e iluminada pelo Santo Evangelho, de forma pura e santa, infelizmente, no meio humano sofre os desvios de sua rota tranquila, quando a mão humana, mancomunada com as sombras, convenientemente a deturpa. Muita luta
aconteceu durante esses anos em que a Umbanda, que faz 107 anos de fundada, busca refletir a Luz Divina sobre a fronte daqueles que dela se acercam. Infelizmente nem todos se deixaram iluminar com os reflexos de seu esplendor, muitos se perderam no caminho e hoje atiram seus dardos envenenados contra a religião e contra os Templos em que estiveram, justamente por que essa casa, fincada na fé e na religiosidade, não cedeu às suas quimeras humanas.

Olhar Obaluayê é sentir e refletir sobre a palavra chave de sua vibração que será sempre a da transformação. Transformação necessária à evolução do espírito. Transformar é mudar. Mudar valores, mudar pensamentos, mudar emoções para que, como consequência, haja a mudança de nossas emoções e a saúde do espírito e do físico que ocorre como transformação salutar do nosso ser caminhante. Como médiuns, adeptos, frequentadores e leitores do Templo Espiritualista do Cruzeiro da Luz, devemos buscar pensar, agir e vibrar de acordo com essa afirmação. Que possamos realizar grandes mudanças em nossas vidas, salutares porque provocadas por nós mesmos a partir da consciência e adesão ao Bem, ao legado Espiritual, á Interação com o Evangelho do Cristo. Só a consciência esclarecida (pela verdade evangélica, principalmente) dignifica e dá valor ao homem.

Que vivamos sem medo das batalhas, sim, mas onde as demandas (lutas) interiores serão vencidas, uma a uma, pelo nosso acatamento à mensagem transformadora do Senhor da Transformação e Evolução. Transformação consciente e esclarecida que muda o estado de sombras em estado de luz, estado de ignorância em estado de esclarecimento, estado de medo e angústia em estado de coragem e destemor, colocando-nos com o conhecimento de Oxóssi e a espada da lei de Ogum, como transformadores da nossa sociedade interna e externa, em face de nossa ação contra a inverdade, contra a hipocrisia, contra a maledicência, a omissão, a preguiça, a inércia, contra a índole distorcida associada às trevas.

Por meio da doutrina Umbandista Espiritualista Cristã o plano espiritual vem nos mostrar a verdadeira face da vida. Mas, com o “declínio personal” do ser humano, muitos que estão inseridos nela insistem em trazer para seu seio suas carências, suas frustrações, seus conchavos, suas neuroses e traumas, não se renovando, não tentando melhorar, mas querendo transformar os centros, templos e terreiros em quintais pessoais de seus bel prazeres, supostamente convenientes e egóicos, fugindo, assim, da ação vibrada de Obaluayê com seu poder transformador realizado à luz do amor, submetendo-se a Lei Justa, onde a ação desta vibratória nos atinge por meio do poder transformador e reeducador do Carma.

No Cruzeiro da Luz, por meio de seus médiuns e Guias, esse convite constante à transformação consciencial e comportamental se dá sempre sob a Luz do Evangelho de Jesus, Mensagem de Amor e Paz. O poder transformador de Obaluayê, na ação sobre a evolução da Terra e dos seus espíritos habitantes vai ocorrer sempre como um ditame da Lei, seja pela consciência esclarecida e decidida, cujo comportamento está eivado de doçura e firmeza, como é Jesus, ou será pela dor e imposição legal diante do inadiável convite ao crescimento e à evolução, o que ocorrerá sob o guante da Lei. Tudo sempre será fruto do nosso compactuar ou não com a ação divina em nossas almas, o que dará vazão a aplicação da Lei Divina, seja em forma de carma reeducador e imperioso ou de Dharma equilibrante e harmonioso. O certo é que a aplicação da Lei pelo amor ou pela dor é implacável. O Exu Malandrinho do Cruzeiro das Almas nos ensina que o "tempo não tem tempo, mas o tempo é implacável", ou seja, esse tempo e essa implacabilidade é a Lei que se aplicará e ajustará as contas de todos que nós devedores.

Esse é o Plano Espiritual que a tudo vê, e a tudo acompanha como Prepostos Divinos responsáveis pela evolução, criação, manutenção e transformação do Planeta Terráqueo e seus habitantes, como diz o mesmo Exu Malandrinho, "você pode enganar ao mundo inteiro, mas não consegue enganar sua consciência e ao Plano Espiritual".

E salve a Umbanda!... Vivamos a mensagem que marca a presença manifestante da Vibração transformadora de Obaluayê e aproveitemos a graça da religião de Umbanda a nós outorgada, realizando nela o ideal do Caboclo das Sete Encruzilhadas, a de ser "A manifestação do Espírito para a caridade"! E, como ele mesmo dizia que para ele não haveriam caminhos fechados, que para a Umbanda verdadeira e seus sacerdotes dedicados a cristianizar “iluminando corações e resgatando vidas”, bem como para todos os umbandistas conscientes de sua fé, sob a égide de Jesus, também não haja impedimentos para esse trabalho de libertação. E na retaguarda, assim como na frente e ao lado, está sempre o “fiel escudeiro”, o Exu Guardião, no nosso caso, o fiel Exu Malandrinho com sua equipe de Exus em defesa do bem, afastando o mal e destruindo-o, ensinando-nos que "o mal por si mesmo se destrói"!

Pelos frutos se conhece a árvore. Realmente deixemos Obaluayê transformar nossas vidas para melhor, nos abrindo ao esclarecimento doutrinário e evangélico sadio, lutando à luz do evangelho contra nossas inferioridades, para que possamos usufruir dos frutos da paz e da alegria.
Eis que vos dou a minha paz, não como o mundo a dá, pois, a paz que vos dou permanece para sempre” (Jesus)


Por: Pai Valdo - Sacerdote Dirigente do T. E. Cruzeiro da Luz