6 de nov de 2015

Não há destaque. Há responsabilidade

Os guias espirituais do responsável de um terreiro (pai ou mãe de santo) são os anfitriões da casa, eles estão ali para recepcionar a todos: filhos, consulentes e visitantes. Os guias mentores do terreiro puxam toda a responsabilidade da casa pra eles, por isso interagem com todos os presentes, por isso em muitos casos se centralizam em frente ao congá (altar) e interagem num geral pelo espaço físico
da casa, pois, são os guias mentores que acatam todos os trabalhos que ocorrem no terreiro e que se responsabilizam por tudo que ali ocorre, é o médium desses guias mentores que recebe todas as energias ali trabalhadas, de todos os consulentes, filhos e das ações de todos os guias espirituais, embora todos os guias espirituais e médiuns são iguais, existem hierarquias e lideranças a serem respeitadas, existe a liderança do dirigente espiritual e a liderança de seus guias espirituais, isso gera equilíbrio, tradições de costumes e ordem diante as doutrinas de um terreiro. 

Às vezes um filho espiritual pode ver um guia mentor da casa atuando e pensar: ''Meu guia também pode fazer isso, meu guia também pode se destacar!''

Mas a questão não é destaque, nenhum guia espiritual seja lá de quem for vem a nós encarnados para se destacar ou receber confetes, ele vem com intuito da objetividade de sua missão espiritual, nos elevar. Os guias mentores da casa não fazem isso para se destacarem, eles puxam a responsabilidade pra eles, afinal, são eles os responsáveis por tudo que acontece no culto e na casa, eles e seu médium, o/a dirigente espiritual responsável, fazem isso para abaterem todos os trabalhos espirituais realizados na gira e como bons anfitriões e líderes falam em nome de todos ao receberem as visitas e consulentes, isso se chama hierarquia e responsabilidade, não se trata de puxar a atenção pra eles, mas sim, puxar a responsabilidade que lhes cabem.

Eu já fui filho espiritual, já tive esta posição com muita honra, respeito e seriedade no terreiro de meus pais por anos, pais que além de espirituais também são carnais, mas sempre me coloquei em meu lugar, aprendi isso com os guias mentores da casa deles e com meus próprios guias espirituais que lá, seguiam humildemente para o lugar deles, atendiam seus consulentes um por um, respeitavam as hierarquias dos guias mentores, saudavam quando chegavam e quando partiam, auxiliando os líderes espirituais da casa que também era deles, entretanto, se colocavam na devida posição hierárquica, porque o papel do médium também é este: servir a espiritualidade a auxiliando sem vaidade e orgulho, sem querer se destacar ou se envaidecer pelos resultados dos trabalhos de seus guias e nem querer se impor pra tentar se destacar ou ganhar um espaço a mais, a espiritualidade nos oferece tudo na medida e dentro de suas devidas designações, basta o respeito pelas doutrinas, pelas hierarquias e o respeito pela designação de ser médium, aquele que anda ao lado de uma ferramenta chamada humildade.


Por: Pai Carlos Pavão