10 de jul de 2015

Ser Umbandista...


Ser Umbandista...

Não é dirigir-se ao templo apenas por imposição do medo.


Não é aproveitar da religião para buscar luxo e vaidade.

Não é mostrar-se interesseiro indo a templos à procura de vantagens imateriais.

Não é beneficiar-se da mediunidade, recebendo presentes caríssimos.

Não é levar vida cômoda a sombra dos ensinamentos dos guias e protetores.

Não é pretender consolar o irmão aflito e desesperar-se com seus próprios problemas.

Não é ser gentil com os ricos e grosseiros com os pobres.

Não é invejar o colega, buscando prejudicá-lo apenas por inveja e através de intrigas.

Não é perturbar-se com a ingratidão do irmão mal agradecido.

Não é buscar fama para satisfazer o orgulho.

Não é aparecer em publico, ostentando jóias que seus protetores ganharam na intenção de ajudar o próximo, pois custou o suor alheio.

Não é se envaidecer com suas entidades dizendo aos outros que tem um guia mais bonito ou poderoso, todos são iguais perante o criador.

Não é cobrar por ajuda, pois o dom da mediunidade foi nos dado de graça.

Ser Umbandista...

É saber amar, perdoar, esquecendo a ofensa do irmão que o magoou.

É transformar a própria dor em sentimento de alegria.

É procurar adquirir cultura, instruindo-se para poder instruir.

É possuir mente e coração brilhantes para iluminarem caminhos obscuros e pedregosos.

É estar indiferente a elogios e imune a criticas de pessoas incompreensivas.

É agradecer aos guias e protetores que o escolheram para servi-lhes de interprete.

É entoar hinos de louvor ao Pai que lá alto também socorre.

É construir-se em tabua de salvação a irmãos naufragados no mar do desespero.

E carregar a bandeira da fé, amor, paz, humildade, caridade, respeito com entusiasmo e dedicação.

E dar exemplos de moral e virtudes para que outros o sigam.

E esquecer-se de si mesmo, auxiliando aflitos e sofredores.

E sentir os problemas do próximo, como se fossem seus também engolindo o egocentrismo e prepotência.

E seguir ao Mestre Jesus, levando paciente a própria cruz ate o calvário.

Salve a Umbanda!