26 de mar de 2015

Como obter tranquilidade espiritual?

Penso que paciência seja uma virtude. Temos o tempo todo estado de frente aos nossos desafios e nem sempre nós dedicamos um pouquinho de paciência para analisá-los. Todos nós temos campos de ação próprios, principalmente nós, médiuns de Umbanda, cujo trabalho acontece invariavelmente nas linhas de choque com o emocional humano e sua capacidade criativa de energias densas que se acumulam nos chamados “umbrais” na crosta terrestre.


Muito explorado pelas literaturas espíritas, esse umbrais já foram detectados como locais de acúmulo energético, acondicionando espíritos perdidos nos seus infernos pessoais e presos a amarras emocionais que impedem que a “luz” envolva seu mental consciente, levando-o a um entendimento de realidade. Local também de armazenamento e refúgio de mentais pseudo conscientes, iludidos em seu caminho evolutivo, capazes de influenciar em domínio esses espíritos perdidos no tempo e no espaço, tornando-os verdadeiros escravos das vontades inferiores. Esses últimos, quando cito como iludidos, me refiro aos que também são escravos de vontades inferiores.

Quantas vezes não nos sentimos atacados pelas trevas, por seres que eventualmente achamos que não querem que nosso trabalho aconteça, ou que acreditamos se sintam ameaçados por nós, por nossos Terreiros, cursos, atendimentos, magias, etc?

Uma boa parte disso é nosso próprio orgulho falando ao nosso íntimo, fazendo-nos acreditar na nossa importância imediata na evolução do planeta e da humanidade. Inferno e umbral não são locais propriamente ditos: são estados de espírito que ou nos colocamos, ou somos conduzidos para que encontremos a nós próprios, no sentido de entendimento de nossas razões pessoais.

Engana-se quem acha que quem está nos astrais inferiores são consciências torpes e ignorantes. Muitos dos magos negros realmente localizados nessas esferas nunca saem de lá, a não ser através desses seus servos humanos caídos, ou encarnados, que optaram pelo seu íntimo em servi-los com seu emocional em desequilíbrio e desentendimento das coisas divinas e da natureza do ser humano que é o bem.

Esses mentais se servem das tendências que todos temos em oscilar entre o positivo e o negativo.Todos nós trazemos em nós os genes necessários para que nossa natureza do bem fique em evidência e que nossa natureza oposta seja força motriz para nossa caminhada ascendente quando estamos em equilíbrio ou perto dele.

O medo é limitador e protetor, ao mesmo tempo que nos impede de crescer; impede de ultrapassarmos o limite do aceitável e violarmos as regras de coerência da vida. Acreditar que tudo o que acontece na nossa vida é demanda é um convite a verificar se seu íntimo não está envolvido numa aura espessa de orgulho que te impede de perceber os verdadeiros desafios a sua volta. Sair dessa doutrina da demanda é um desafio de todos nós.

Por isso comecei escrevendo sobre paciência. Ter tranquilidade diante dos desafios que o cotidiano nos traz é virtude incontestável. Não há situações desesperadoras: há pessoas que se desesperam (ou perdem a esperança) diante de uma situação. Não há problema sem solução. Se você tem um problema que não tem solução, logo não é um problema e nele próprio está a solução. Isso nem sempre é algo que se vê, mas quando a poeira abaixa, podemos vislumbrar um oceano de possibilidades e de realizações renovadoras.

Somos permeáveis a mudanças e renovações. E quando elas tem que acontecer, acontecem mesmo. E a Lei Divina se serve do que tem de mais próximo em nós, nosso íntimo, para atuar em nossas vidas nesse sentido transformador.

Avalie seus sentimentos com calma, analise suas emoções e fatos recorrentes em sua vida. Não alimente nem valorize o baixo astral achando que tudo é obra deles. Muito do que acontece aqui é nosso e para que nós aprendamos.

Confie no Criador, confie em seus Guias espirituais, confie nos sagrados Orixás. Você nunca está sozinho!

E o principal: se pudermos dividir nossa paz de espírito com as pessoas à nossa volta, tenha certeza que isso irá elevar significativamente sua consciência. Abaixo, algumas dicas de rituais simples para a busca da tranquilidade espiritual:

- Banhos com alfazema, camomila, melissa, macela, rosa branca, anis estrelado, jasmim, manjericão;
- Defumação com anis estrelado, sálvia e olíbano;
- Colocar um saquinho com alfazema seca no travesseiro, ou adquiri-lo pronto no comércio;
- Vela de sete dias branca acesa, oferecida ao Pai Criador e ao Anjo da Guarda (pessoal ou familiar);
- Manter flores em casa, pode ser um vaso plantado, pode ser flores num vaso com água. Ofertadas a Deus Nosso Pai Criador, à Mãe Natureza, seu Poder Divino e Forças Naturais, pedindo que abençoem sua casa e família, mantendo a harmonia em todos os sentidos no seu ambiente e no campo vibratório de todas as pessoas que ali moram. Depois de murchas ou secas devolva-as à natureza, numa beira de mata, beira de rio, jardim, praça, enfim onde tiver terra para absorve-las.

É isso aí turminha! Sucesso, saúde, alegria e paz de espírito para todos!