30 de out de 2014

FAQ umbandista

Aproveitando que estou inspirado, resolvi publicar este artigo que há muito tempo está adormecido entre meus rascunhos. É também uma forma de colocar, parcialmente, a correspondência em dia e responder aos muitos questionamentos que têm chegado diariamente.

Entendam que as respostas que darei são baseados em meus pontos de vista e vivências nestes 28 anos de Umbanda. No entanto, não tenho a pretensão de esgotar nenhum assunto ou mesmo ser o detentor de alguma verdade absoluta. 


Vamos as perguntas:

1) É possível que os médiuns dotados desta cobertura espiritual e bem entrosados com os guias e protetores que lhes assistem, possam ser guiados e direcionado (intuídos) por estes (protetores, guias..) a determinados estudos, livros e até mesmo impulsionando os médiuns a proceder com " amacy, banhos de ervas, aprendizado das grafias da lei de pemba, etc."? Faço este questionamento pela dificuldade em saber o que é fanatismo, vontade própria e intuição.


Resposta: Sim, é plenamente possível. Vamos lembrar que Matta e Silva foi iniciado por Pai Guiné Mestre Yoshanan) e tudo que recebeu foi por intermédio da espiritualidade. Nem todo médium terá um iniciador carnal ou mesmo alguém que o oriente. Sempre digo, inclusive com base nos escritos de Mestre Yapacani, que a figura do "Mestre" na vida do médium é dispensável, já que os maiores Mestres que ele terá são seus próprios Mentores Espirituais. 

Já falei sobre isto em outro artigo que os convido a ler.

2) Como podemos discernir sem a faculdade da clarividência, em uma corrente mediúnica, se o médium chefe mistifica ou não? Às vezes percebo que a "entidade" comunica-se colocando para fora a personalidade do médium, qual seja, áspero e rude. Ex: Médium áspero e rude, preto velho age com grosseria ferindo o brio dos médiuns. Qual orientação o senhor me daria?

Como exponho na série de artigos sobre mistificação que iniciei na última semana, a entidade que demonstra muito da personalidade do médium, inclusive tendo atitudes que não condizem com sua condição espiritual superior, são suspeitas. Por óbvio que há certo grau de influência do médium na comunicação (e quem diz que não tem é mentiroso), mas em uma incorporação firme e verdadeira, teremos a "personalidade" da entidade sobrepujando a do médium. Quando acontece o inverso, ou seja, há mais do médium do que da entidade durante a incorporação teremos, no muito, uma radiação destas para aquele, o que pode comprometer os trabalhos.


3) Seguindo a esteira da segunda pergunta, vale a pena o médium se "arriscar " e participar do grupo?


Se a pessoa já se sente desconfiada, com o "pé atrás" em relação à corrente e seu dirigente, o mais sensato é continuar mais um tempo frequentando a Casa e sondar o ambiente. Não se arrisque a estar sobre a influência espiritual de ninguém se não tem confiança plena. 


4) Tem como se auto iniciar com os livros de Matta? pedir ajuda ao meu astral? Já que onde moro não existe alguém que seja iniciado na Raiz de Guiné.

Não existe auto-iniciação. No entanto, você pode ser auxiliado e até mesmo iniciado pelo Astral que o assiste, desde que seja este o seu karma. No entanto defendo que o médium (de Fato e de Direito) não precisa ficar se preocupando com iniciações formais. Se há um Astral o assistindo, tudo que é necessário virá através dele. Conheço Casas abertas há anos em que o médium segue simplesmente as orientações de seus Guias e Protetores e nada há que se possa falar de negativo de seus trabalhos. Por outro lado, conheço tanta gente "feita" que... bem, melhor eu não falar, quem segue este blog já deve ter lido sobre estes tipos. 

5) Sou médium há 20 anos e não tenho sentido mais minhas entidades (sic). Recentemente fui a um famosos terreiro aqui no Rio de Janeiro e me disseram que meus mentores foram aprisionados por um trabalho feito por um desafeto. Como posso reverter isto e libertar minhas entidades?

Vamos deixar claro de uma vez por todas que entidades espirituais não podem ser aprisionadas, amarradas ou sofrer qualquer outro tipo de privação por parte de trabalhos feitos. Isto é uma bobagem sem tamanho, uma crendice inventada por gente que deseja manter médiuns dependentes de sua influência. Se as "suas" entidades não se fazem mais presentes, pode ser que nunca existiram ou se afastaram de você por alguma falta. 

6) Sou casada há 9 anos e frequento um centro de umbanda aqui em São Paulo. Na última gíra a entidade chefe do Terreiro disse que meu casamento está no fim e que meu destino seria ficar com o "cavalo" dela. Realmente meu casamento não vai muito bem e confesso que sinto certa atração pelo médium que dirige a casa. O que acha?

Acho que este "médium" é um tremendo cafajeste e que não há entidade alguma se manifestando através dele. Não sei qual o problema com o seu casamento e não sou ninguém para condená-la por se sentir atraída pelo dirigente, no entanto vejo com muito maus olhos entidades este tipo de situação. Que o seu casamento não esteja muito bem, vá lá... mas ser o seu "destino" formar um casal com o tal médium já é canalhice da parte dele incutir isto em sua mente. 

7) Em outra encarnação fui um sacerdote egípcio e sinto que nesta encarnação prossigo com minha missão. Uma das entidades que recebo é Hórus... 

Esta não foi uma pergunta, mas o relato de um "médium" que diz receber todo o panteão egípcio. Resolvi colocar neste FAQ para demonstrar como as pessoas são suscetíveis à influências e como podem ser convencidas facilmente quando algum espertalhão resolve levar vantagem da sua credulidade. No restante do relato, este leitor diz que pagou a bagatela de 40 mil reais para ser "iniciado" nos "mistérios do antigo Egito". Como diz meu velho pai, todos os dias saem dois bobos de casa: o mais esperto passa a perna no outro.

8) Tenho uma pomba-gira Maria Mulambo, que sempre me faz trair meu namorado. Muitas vezes vou para as baladas e quando assusto estou deitada ao lado de um completo estranho. Ela me faz beber muito e teve uma ocasião que acordei mantendo relações com três homens. Sofro muito com esta situação mas não consigo me libertar. Já procurei vários terreiros que não conseguiram afastar esta entidade maligna. O que faço?

O seu problema não é espiritual, por isto nenhum Terreiro poderá livrar você disto. O que vejo de pessoas dizendo que agiram desta ou daquela forma por conta de influências espirituais, não está no gibi. Se você, mesmo vivendo um relacionamento sério, resolve ir para uma boate sozinha, enche a cara de forma a perder os sentidos e mais de uma vez acordou ao lado de homens estranhos é sinal de que a situação toda não é de toda desconfortável. Talvez você seja ninfomaníaca, tenha tara com relações com estranhos e simplesmente queira viver plenamente sua sexualidade, no entanto assuma isto e não coloque a culpa em obsessões espirituais. Se isto realmente a tem incomodado, procure a ajuda de um psicólogo ou, talvez, até mesmo de um psiquiatra, que poderá auxiliá-la melhor do que um Terreiro de Umbanda.

9) O que acha da Lei de Salva? É legitima a sua cobrança?

Neste artigo trato do assunto.

10) Qual a sua opinião sobre o médium Robson Pinheiro?

Escrevi vários artigos sobre este "médium" escritor. Aconselho a leitura deste artigo e dos demais que podem ser acessados através do marcador de mesmo nome ao final da postagem.

11) Como faço para ser seu discípulo?

Não há a menor possibilidade de você ou qualquer outra pessoa ser aceita como discípulos. No máximo tenho orientado algumas médiuns dirigentes através de contatos via email, telefone e uma ou outra vez pessoalmente. Hoje estou envolvido em outros projetos pessoais, não tenho mais a mesma disposição que tinha para ficar viajando pelo país abrindo Terreiros para depois ser renegado por gente ingrata e sem caráter, que adoram cuspir no prato que comem. Claro que isto não se aplica à todas as pessoas, mas prefiro ser mero apontador do caminho, sem responsabilidade sacerdotais ou de Mestre. Aliás, já estive tantas vezes nas berlinda, colocado lá por gente que ajudei, que tirei do buraco, que estou cada dia mais seletivo para me dispor a auxiliar alguém.