25 de ago de 2014

Exu Marabô!

Andava pela vida cheia de ferida, olhar triste e cabisbaixo, aceitando que eu era um fracasso. Exu Marabô chegou e firme me alertou. Moça vieste tu para brilhar, para o voo da borboleta alçar, mas vives a ti martirizar, não sabendo a si mesma valorizar!

- Moça! Disse firme Exu Marabô: até quando vais viver de migalha, achando que sua alma só tem falha? Porque na escuridão viver, achando que tudo o merece é sofrer? Você moça veio para o sucesso, deixe de lado o pregresso, sua alma não terá retrocesso.

Luz aos meus olhos trouxe Exu Marabô, me fazendo sair da postura de pobre sofredora, me fazendo ver que era vencedora. Exu Marabô grata a ti eu sou, mexeste com meu brio, quando me perguntou até quando eu ia viver no relento e no frio?

Gratidão a ti que me falou que lagarta eu não mais sou, para rastejar pelo chão e viver nessa prisão. Voei o voo da libertação, entendendo a razão de ter tanto guardião que me segura por a mão, trazendo a luz, rompendo com a escuridão!

Obs: Essa poesia foi feita ao Sr. Exu Marabô em gratidão a tudo o que me ajudou.


Por: Edy Tavares (médium do Cantinho de Francisco de Assis)