12 de mai de 2014

Das coisas do mundo, da vida e do cheiro da alfazema

Esta semana pude compartilhar com amigos, Cláudio Zeus, João Carlos, Tejo e outros, pensamentos e sentimentos sobre um montão de coisas que estão acontecendo neste "nosso" pedacinho de terra brazilis, lendo, observando e refletindo um outro tanto de textos que publicam, e sem querer mesmo intitular-me conhecedor do que vai aqui e além, inspirado pela lembrança do que disse certa feita um espírito: "Nós estamos no mundo, mas o mundo não nos quer, então precisamos ocupar nosso lugar no mundo, para não darmos ao mundo o que é do mundo", penso mesmo que não será com violência, cinismo, ameaças, mentiras, hipocrisia, depredações, humilhações, desvirtuando e aviltando dos fatos, (e talvez do como se chegaram a estes)
para que prevaleça a "verdade que queremos" que surgirá um mundo melhor, hum... talvez aqui me traio no uso das palavras, pois este melhor pode ser interpretado como: um mundo melhor pela verdade que acredito o que isso seja, então poderia reescrever: um mundo de mais honestidade.

Os fatos não são a materialização do que carregamos em nossos corações e consciências, ainda que não possamos ter total ou plena abrangência dos seus resultados? Mas que ingênuo posso estar sendo! O mundo é o que é, já que cada um é o que crê ou credita como valor interior e como disse o poeta "não me iludo, tudo permanecerá do jeito que tem sido, transcorrendo, transformando, tempo e espaço, navegando todos os sentidos".

Nesta manhã, como de costume levantei bem cedinho, agradecido pela chuva que caiu a noite toda após o expurgo destes dias de sol inclemente, abro a porta da frente e saio na pequena varanda da casa e o cheiro da alfazema meio ressequida do vaso que temos me arrebatou para longe de tudo isso e feliz, feliz meu coração se sentiu pois mesmo que nós ainda ofereceramos ao mundo o que é do mundo, há sim felicidade, basta às vezes abrir as narinas e os olhos e inspirar e enxergar para além do barro, há muito mais da Vida no ar.
"Sabedoria Infinita, eu te peço a paz para cada pessoa presente neste planeta"
Mantra repetido pelo Pe. Enedir Gonçalves Moreira em suas intervenções de rádio lá em Bauru.



Por: Edenilson Francisco