9 de abr de 2014

Umbanda à luz do Cosmo – III

PERGUNTA: - Verificamos um caráter andrógino em muitos chefes de terreiro, pais e mães-de-santo. Qual o motivo dessa aparência ou modo indefinido no campo sexual? Isso tem importância para a mediunidade?

VOVÓ MARIA CONGA: Se os filhos prestarem mais atenção, a situação relatada não se prende somente ao movimento de Umbanda. Muitos dos líderes atuais, nos quais a mediunidade é ferramenta de amparo e socorro, recaem em condicionamentos milenares, pois a maioria já esteve ligado ao sacerdócio, em mais de uma religião terrena, vivências que os levaram a virar as costas para o "profano" dos simples mortais e se voltarem exclusivamente para as coisas espirituais e internas dos templos. O sexo, visto como feio e pecaminoso, foi reprimido em suas polaridades que demarcam o feminino e o masculino dos espíritos encarnados.


Afora isso, há aqueles espíritos que efetivamente já sublimaram a questão sexual mais carnal, se encontrando como "sem sexo", não sendo necessária uma expressão preponderante nesse campo. Essas situações não têm relação direta com a mediunidade em si, mas com a evolução do espírito na sua longa caminhada, pois a partir de um determinado estágio ele não tem mais sexo, e sim consciências eternas que se arrebatam e se unem no sentimento amoroso por tudo no Cosmo.

Por: Ramatís e Vovó Maria Conga - Médium: Norberto Peixoto – “Evolução No Planeta Azul” Norberto Peixoto/Editora do Conhecimento.