11 de mar de 2014

Prefiro não saber

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois, vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando.” – Mateus, cap. 23 – v. 13.
De quando a quando, nos deparamos com determinadas opiniões de confrades, a respeito da Doutrina que professamos, que, sinceramente, à luz da Fé Raciocinada, não sei muito bem como interpretá-las, ou até mesmo prefiro não saber.

Vejamos alguns exemplos disto:
  • Se não está em Kardec, não é Espiritismo...
  • Se os Espíritos Superiores não tocaram neste assunto na Codificação, é porque devemos esperar o Futuro...
  • Se eu, que estive com Chico Xavier tantas vezes, inclusive em sua própria casa, nunca o ouvi falar a respeito de tal assunto...
  • Se a Federação Espírita não referenda, eu também não...
  • Em Espiritismo, toda novidade que surge é obra das Trevas...
Evidentemente, pertencendo a uma Doutrina que defende a livre expressão do pensamento, em torno desse ou daquele assunto de caráter doutrinário, todos têm o direito de se manifestar – tanto os encarnados quanto os desencarnados!

Sendo assim, tomando a liberdade – se é que a me consentem! – de opinar sobre as opiniões listadas acima, reivindico para mim o direito de dizer o seguinte:
  • Se o Espiritismo estiver apenas no chamado Pentateuco Kardeciano, vocês me perdoem, mas, de minha parte, para uma Doutrina que pretende ser a “Ciência do Infinito”, é muito pouco ou quase nada...
  • Pela chegada do Futuro, a que muitos companheiros de Ideal se referem, estamos esperando há quase exatos 157 anos... Com certeza, eles devem estar se referindo a um Futuro mais remoto, que, de tão remoto, não há de chegar nunca!
  • Muita gente boa tem a pretensão de ter ouvido de Chico Xavier tudo o que Chico Xavier tinha para nos dizer! E, além do mais, se achavam extremamente confiáveis do inesquecível médium, que, ao conversar com eles, nada tinha a lhes ocultar a respeito de si, ou do que soubesse.
  • Hoje em dia, tudo o que essa ou aquela Federação Espírita referenda, e, principalmente, não referenda, a fim de aprender a discernir por mim mesmo, eu faço questão de mais bem conhecer... (Eu devo ter sido a encarnação de Adão, ou, quem sabe, de Eva... O fruto proibido do Paraíso é o que me interessa no pomar!) 
  • Quando o livro “Nosso Lar” surgiu, em 1943, era novidade – e que novidade, que, passados 70 anos, continua na condição de novidade para muito “doutor” em Espiritismo!!! Devemos considerá-lo “obra das Trevas”?! Jesus Cristo, ao seu tempo, foi acusado de estar possuído pelo Demônio...
Então, meus caros, o que tenho a dizer a vocês é que eu vou tocando a minha vidinha por aqui, com os meus pobres arrazoados de além-túmulo, lamentando a ignorância premeditada de muita gente que, aos outros, não quer consentir o que não consente a si mesma: abrir um pouco mais a cabeça para a Verdade que, de fato, costuma provocar vertigens nos espíritos imaturos, mesmo quando esses espíritos imaturos tenham, sobre a Terra, a sua cabeça coroada por cabelos brancos!...


Por: Inácio Ferreira