17 de fev de 2014

Umbanda, caridade e covardia


Eleger uma tarefa caritativa se escondendo alegando "segurança mediúnica" nada mais é do que esquecer-se do exemplo de JESUS, que andou em meio a dor e o sofrimento.

Zeladores ou médiuns devem sempre se preparar, mas este preparo não deve esfriar seu coração a ponto de afasta-los da convivência com o seu semelhante.

A Umbanda é a manifestação do espírito para a caridade como nos ensinou o Caboclo das 7 encruzilhadas.

Manifestar a caridade e não a covardia.

Infelizmente encontramos gente que se diz "servidor" ou ainda "eternos aprendizes", mas no fundo fogem da responsabilidade em se compreender que médico trabalha onde tem doente. Se não for assim não é médico.

Umbanda é para ser praticada onde necessita de esclarecimento, onde se encontram os doentes do espírito.
Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. 
Mateus 25:37-40

Por: Géro Maita