15 de jan de 2014

Umbanda e influências religiosas indígenas, negras e brancas - Vlllparte



PERGUNTA: Qual a razão de muitos dos mitos e histórias das tribos indígenas e das nações africanas contadas de geração a geração serem semelhantes, mesmo que transmitidos em épocas diferentes e com personagens peculiares a cada cultura, mantendo vivos os conhecimentos dos orixás?



RAMATÍS: - No passado das civilizações, seja na Atlântida, Ásia, África, Europa, ou nas Américas, reencarnaram os mesmos espíritos. em várias ocasiões. Eles traziam no inconsciente, o qual não se reportava às cores das peles ou raças que os abrigavam provisoriamente nos corpos físicos, a sabedoria antiga dos iniciados extraterrestres. Ocorre que a transmissão dos saberes ocultos sempre foi velada, um tanto misteriosa ao homem comum, preocupado em saciar a fome e sem tempo para maiores abstrações filosóficas. Seria perigoso o magismo praticado pelos magos nos templos, se fosse aberto a todos.
Por esse motivo, os Senhores da Luz Velada, espíritos de escol de outros orbes que velavam pela transmissão dos conhecimentos mágicos, quando encarnados como instrutores atlantes, hierofantes egípcios, mahatmas indianos, pajés sul-ameríndios ou sacerdotes tribais africanos, preservaram o saber tecendo histórias que viraram lendas para o povo, numa versão popularizada para as mentes brutas, tornando esse saber"palatável" oralmente à interpretação esotérica superficial das leis divinas que regem o micro e o macrocosmo. Fixaram em santuários, pirâmides, criptas e cavernas o que não era acessível ao primitivismo do povo absorvido pela sobrevivência num cotidiano inóspito.
Imaginai centenas de poços na crosta que saciam a sede das populações locais, em que os muros e telhados que enfeitam sua superfície são diferentes, mas a água da fonte que os enche é igual em todos os locais. Assim é a umbanda: diferença nos terreiros não significa desigualdade perante os orixás; ela vos une numa mesma essência, e não vos separa na ilusão das formas.


Por: Ramatis/Norberto Peixoto - do livro: A Missão da Umbanda - Editora do ConhecimentoFonte: Ramatis - Missão de Luz