9 de dez de 2013

"Em verdade, vos digo..."


Eu desceria à crosta da Terra para amar uma serpente. – Chico Xavier



mau humor, umbanda, raiva, ira, loucura, loucoDe fato, na atualidade, o mundo está repleto de convites ao desânimo, à descrença, ao desespero...


Quase em toda parte, corrupção e injustiça, violência e degradação.


A própria religião não vem escapando à triste contaminação...


Falsos Cristos e falsos profetas enxameiam...


As chagas humanas nunca estiveram assim tão à mostra!


Ambição e egoísmo...


Indiferença e descaso...


Nas ruas das grandes cidades, qual, igualmente, das pequenas, as pessoas parecem estranhas umas às outras!


Duelam no trânsito, nas casas bancárias, nos supermercados...


Têm-se a impressão de que o mundo espera por uma catástrofe – e, inconscientemente, clama por ela, como única medida saneadora possível no intuito de salvar a Humanidade de sua total perdição.


Não obstante, forçoso reconhecer que não há meio mais propício ao florescer da virtude do que este...


Não é sob o monturo que germinam as sementes?!...


E entre pedras pontiagudas que jorra a linfa cristalina, do interior da terra lamacenta?!...


Qual o homem que teria se santificado longe da tentação?!...


Não há local que mais necessite de água que o deserto, nem há lugar mais carente de paz que o campo de batalha...


Como se falar de Cristo a quem já tem verdadeira fé?!


Portanto, o mundo de hoje é o campo ideal de luta do cristão que, exemplificando, busca pregar o Evangelho!


Contraditoriamente, gleba arrasada e fértil, na expectativa da boa semente...


Há tanto a ser feito!


A fim de espiritualmente ascender, ninguém pode alegar falta de trabalho e oportunidade...


Crianças que estão a se drogar...


Jovens mergulhados no alcoolismo e no prazer...


Homens e mulheres transfigurados em feras...


Ah, quanto espaço para uma palavra de esperança, para um sorriso amigo, para um abraço de solidariedade!


Para quem almeja a própria redenção, não há mundo melhor que a Terra de agora!


A tristeza de ver tanta gente enveredando pela porta larga, mas, por outro lado, a alegria de perseverar no caminho que conduz à estreita passagem...


No mundo de hoje, dá para o cristão se sentir da idêntica maneira com que, há dois mil anos, o Cristo se sentiu – cruz aos ombros, descrença ao derredor, subindo o Calvário em solitário testemunho!...


Não nos esqueçamos de que cresceram no inferno, as asas com que, um dia, os anjos puderam volitar ao Céu!...


[important]Por: Inácio Ferreira
Fonte: Blog do Dr. Inácio[/important]