11 de out de 2013

A harmonia dos grupos de apometria nos templos espiritualistas. E por falar nisso, como vai a do seu?

gira_05Apômetra, como vai indo o grupo apométrico do qual você faz parte? Você pode afirmar com certeza que nesse grupo os médiuns são unidos? Existe entre eles afinidade e fraternidade? O seu grupo participa dos estudos periódicos? Vocês sabem quais e quem são os espíritos invocados para a proteção do grupo e dos trabalhos de desobsessão? E por fim, no seu grupo existem antipatias entre os médiuns apômetras?


Desejamos abordar despretensiosamente este tema, pois o que vemos nos bastidores de algumas casas espiritualistas é algo com que devemos nos preocupar, principalmente se somos nós os consulentes da vez.


Claro está que, todos os seres, invariavelmente, precisarão um dia de ajuda espiritual sejam médiuns ou não. Obviamente nos referimos aos que conscientemente buscam o espiritismo de uma forma ou de outra, nas várias vertentes existentes, sérias e disponíveis ao público.


Eis um assunto espinhoso e polêmico, pois toca diretamente na ferida que insiste em ser ocultada por alguns.


Hoje podemos afirmar sem sombra de dúvidas que a grande maioria dos templos religiosos que se permitiram uma reforma positiva e engrandecedora, buscaram nos estudos sérios a melhor forma de avançar e evoluir, principalmente com o positivo objetivo de levar para dentro das casas espiritualistas, por exemplo, de Umbanda ou Kardecistas, mais recursos (ferramentas) que visem auxiliar melhor os consulentes e os desencarnados.


Mas e quando nestes grupos ditos apométricos não há harmonia nem o verdadeiro equilíbrio que a espiritualidade do plano Superior exige dos médiuns que trabalham com as desobsessões; aberturas de frequência, formação de campos de força, desdobramentos conscientes, cirurgias astrais, retirada de aparelhos parasitas, etc., e tal?


Meus irmãos, o mínimo que é pedido por parte dos irmãos do plano Superior é o estudo, a reforma íntima e a boa vontade dos médiuns.


O estudo é prioridade absoluta, é preciso que o médium apômetra tenha conhecimento mínimo em química, matemática, física... e é importante e necessário estudar e aprender sobre anatomia humana... Sem contar que o apômetra precisa ter lido os livros básicos da codificação kardequiana.


Tá bom, tudo bem, mas e quanto ao grupo, quais são as exigências básicas para que os apômetras sejam bons o suficiente para verdadeiramente auxiliar pessoas em sofrimento? É preciso ter em mente que estas pessoas precisam ter verdadeira noção do que estão fazendo e infelizmente a maioria não sabe! É importantíssimo que os médiuns se gostem, se tratem com respeito e estejam unidos de verdade, pois é sabido que os agentes das sombras não deixam por menos, eles buscam uma “lacuna”, uma brecha que seja, procuram incessantemente por um ponto fraco no mais suscetível dos médiuns para que possam desestabilizar todos os outros (efeito dominó), buscando com isso o êxito na extinção dos tais grupos. Não interessando se estes estão atendendo nas casas de umbanda ou em quaisquer outras.


A tão falada REFORMA ÍNTIMA, que todos somos convidados a fazê-la, porém protelamos em grande maioria, é uma aliada poderosa, pois se ainda somos portadores dos piores vícios, das manias mais negativas, do orgulho nauseabundo, da vaidade e dos atavismos que são heranças ressurgidas dos tempos antigos (vivências), fatalmente em algum momento seremos vítimas das armadilhas muito bem arquitetadas pelos obreiros das trevas (líderes do astral inferior, magos negros, obsessores).


A maneira mais fácil de um grupo de apometria cair é pela falha moral de seus componentes, mas ora, como então haver bons grupos se a maioria de nós encarnados somos ainda crianças espirituais, espíritos devedores e por isso, comprometidos ou presos ao mundo de provas e espiações? Sendo assim, nenhum de nós “pode ser” um apômetra, ainda mais, se olharmos as nossas limitações no campo da moral, não faríamos caridade alguma, então o que estamos a dizer? A verdade é que precisamos nos policiar, munir-nos de conhecimento, sermos disciplinados e reformarmo-nos moralmente, um pouco a cada dia, durante toda a nossa vida, incessantemente!


Um grupo para ser considerado bom pelos irmãos ou guias de luz, precisa estar unido, os médiuns têm que se gostar, devem se respeitar e se conhecer. As antipatias devem cair por terra, os melindres precisam ser transformados e trabalhados positivamente, a harmonia deve ser constantemente trabalhada, pois a corrente mediúnica é preciosa quando há amor, respeito, disciplina, estudo sério, caridade, humildade e empenho, mas quando ela se quebra é um Deus nos acuda!


Um problema difícil de se resolver é quando pessoas não sabem quem são os líderes espirituais que do plano Astral auxiliam-nos nos trabalhos de desobsessão, entre outros. A coisa fica complicada quando estes médiuns não sabem a quem recorrer, invocar, como por exemplo, o Exu ou se preferirem o guardião chefe que protege o grupo resguardando-lhes (dos ataques dos líderes das trevas e de seus comandados), quem são os guias de luz que dão suporte nos trabalhos, etc. Quando não se sabe a quem invocar para a proteção de todos, como disse um famoso médium mineiro, a “coisa” fica temerária!


Então perguntamos aos bons apômetras que nos leem como ficam os consulentes leigos que “caem” nas mãos dos maus apômetras que não sabem o que estão fazendo? Esta resposta qualquer bom médium, umbandista ou espírita sabe responder com folga.


As responsabilidades são muitas e tudo o que fizermos por conta da nossa arrogância, vaidade e ignorância é debitado em nossa conta pessoal (ficha cármica) e servirá como futuro aprendizado através dos resgates dolorosos a que poderemos estar sujeitos de acordo com a Lei de causa e efeito.


Irmãos, muitos grupos de apometria são alvos das mais absurdas e cruéis vinganças, das mais sórdidas ciladas, ataques ou como queiram chamar, dos agentes das trevas e isto se dá muitas vezes em nome do nosso despreparo e da falta de estudos sérios e sistematizados (não nos esqueçamos de que tratamos aqui de forma simples, daqueles que não sabem o que fazem).


Não basta lermos somente os livros singelos como os romances espíritas, ou ficarmos num só autor ou mentor espiritual, é preciso que busquemos incessantemente por mais informação, novas opiniões e que sejamos humildes para reconhecermos que não sabemos tudo sobre esta ciência que é mais uma ferramenta para auxiliar na caridade com Jesus, os que sofrem. Portanto saibamos que um grupo de apometria vai mal quando está fechado demais, restrito, caminhando opostamente aos ensinamentos do Evangelho de Jesus, quando os companheiros de mediunidade não se gostam, não se respeitam e quando não fazem a reforma íntima. Sem contar que não saber o mínimo do que sabem os magos negros, e dissemos o mínimo, é em nossa modesta opinião uma temeridade. É bom que se repita também neste texto que os magos negros são espíritos inteligentíssimos. Exímios químicos, físicos, matemáticos e profundos conhecedores da anatomia e da psicologia humana, ou seja, ELES ESTUDAM MUITO! São frios, calculistas, maus, poderosos e perigosos. Quanto mais conhecimento possuem, mais poder têm e é bom frisar que com estes seres trevosos normalmente quem lida são os mentores espirituais, os guias, os guardiões, isto é, espíritos também altamente gabaritados, excelentes no que fazem e exímios movimentadores da magia, contudo, é bom ressaltar que são estes espíritos os seareiros de Jesus Cristo, com “carta branca” para atuarem desestruturando seres ainda endurecidos que usam a inteligência a serviço do mal.


Portanto quem se mete a mexer em “vespeiro” sem o devido preparo, conhecimento e respeito ou é louco ou muito ingênuo.


O que fazemos não é julgar nossos irmãos e nem podemos, pois somos fracos e necessitados de muitos ajustes. Queremos apenas fazer um alerta, um pedido para que os que identificarem em seus grupos apométricos algumas das características negativas que aqui, neste singelo e despretensioso texto foram sinalizadas, pensem a respeito do tempo que se perde, do trabalho infrutífero e dos perigos que se corre.


No mais somos todos necessitados de constante evolução, educação, disciplina e amor.


Axé!


[important]Por: Letícia Gonçalves
Fonte: Diário de Luz - Blog Espiritualista[/important]