18 de jul de 2013

O que Falta na Umbanda?

preto-velho, umbanda, magia, yorimáDia destes, ao final de uma gira de desenvolvimento mediúnico, manifestou-se Pai João de Angola, o Preto Velho regente da casa.


Como de costume, acendeu seu cachimbo, cumprimentou os presentes e chamou todos para bem perto dele e após se acomodarem ele pediu que todos respondessem uma pergunta simples:




– Do que a Umbanda precisa?



E assim um a um foram respondendo:




– Mais união...


– Mais estudo...


– Mais divulgação...


– Mais respeito...


– Mais reconhecimento...



Mais, mais e mais...


Após todos manifestarem suas opiniões, Pai João sorriu e disparou:




– Muito se diz do que a Umbanda precisa, não é? E eu digo que a Umbanda precisa de Filhos!



Silêncio repentino no ambiente.


Naturalmente os filhos ficaram surpresos e ansiosos para a conclusão desta afirmação.


Pai João pitou, pensou, pitou, sorriu e continuou:




É isso, a Umbanda precisa sobretudo de FILHOS.


Porque um filho jamais nega sua mãe, sua origem, sua natureza. Quando alguém questiona vocês sobre o nome de sua mãe, vocês procuram dar um outro nome a ela que não seja o verdadeiro? Um filho nem pensa nisso, simplesmente revela a verdade. Assim é um verdadeiro Filho de Umbanda, não nega sua religião, nem conseguiria, pois seria o mesmo que negar a origem de sua vida seria o mesmo que negar o nome de sua mãe.


Um filho de Umbanda, dentro do terreiro limpa o chão como devoção e não como uma chata necessidade de faxinar.


Um filho de Umbanda dá o melhor de si para e pelo o terreiro, pois sente que ali, no terreiro ele está na casa de sua mãe.


Um filho de Umbanda ama e respeita seus irmãos de fé, pois são filhos da mesma mãe e sabem que por honra e respeito a ela é que precisam se amar, se respeitar e se fortalecer.


Um filho de Umbanda sente naturalmente que o terreiro é a casa de sua mãe, onde ele encontra sua família e por isso quando não está no terreiro sente-se ansioso para retornar e sempre que lá está é um momento de alegria e prazer.


Um filho de Umbanda não precisa aprender o que é gratidão. Porque sua entrega verdadeira no convívio com sua mãe, a Umbanda, já lhe ensina por observação o que é humildade, cidadania, família, caridade e todas as virtudes básicas que um filho educado carrega consigo.


Um filho de Umbanda não espera ser escalado ou designado por uma ordem superior para fazer e colaborar com o terreiro, ele por si só observa as necessidades e se voluntaria, pois lhe é muito satisfatório agradar sua mãe, a Umbanda.


Um filho de Umbanda sabe o que é ser Filho e sabe o que é ter uma Mãe.



[important]Fonte: Centro de Umbanda Pai João de Angola[/important]