28 de mai de 2013

O fanático religioso na umbanda

guias_04Um tema mais do que atual, visto que poucos conseguem olhar para si e trabalhar as próprias imperfeições.


Neste texto não falaremos do fanatismo em geral ou o dos irmãos que seguem outras religiões, mas dos que cultuam a umbanda, pois nosso intuito é o da investigação sincera e objetiva dentro desta egrégora, mas sem o julgamento antifraterno ou a crítica negativa. Pois o respeito e a seriedade ao abordar temas polêmicos, devem prevalecer.


No mais devemos olhar primeiramente para nós mesmos, a fim de extirparmos as ervas daninhas que jazem em nossa alma ou continuaremos frágeis e indefesos.


Você é daqueles umbandistas que não tem outro assunto a não ser sobre a sua religião?


Observamos os companheiros que inadvertidamente abrem mão do bom senso e do equilíbrio, alguns esquecem-se que a vida é também feita de outros conhecimentos e consequentemente de outros assuntos. Os mais fanatizados aproveitam todas as oportunidades de encontro, sejam em festas particulares ou em locais públicos para falar somente de seus interesses no campo da religião, esquecem-se que esta atitude pode cansar o companheiro ao lado.


Muitos equivocadamente acreditam que ao demonstrarem de forma exagerada o “amor” que dedicam à umbanda, agradam a Deus.


O que agrada ao Criador é o equilíbrio, o amor e a verdade que buscamos a todo o momento, tudo o que foge a isso, em nossa modesta opinião, é excesso.


Você é daqueles umbandistas que tem dificuldades com o “novo”?


O que vemos em alguns templos umbandistas é a dificuldade que a “velha guarda” tem em aceitar os mais novos (médiuns neófitos). Tudo porque eles chegam munidos de informações, obtidas através dos bons estudos que fazem. A nova geração traz um brilho especial para a umbanda, que se renova a cada tempo, pois não é uma religião baseada em imposições equivocadas, em verdades absolutas, estagnantes e dominadoras.


Os mais velhos (não todos) numa época em que médium não estudava, hoje têm enorme dificuldade em aceitar as mudanças trazidas pelos mais jovens.


A umbanda está em constante transformação, e não estacionará nunca! Na medida em que as consciências expandem seus limites através da evolução do espírito, a umbanda como generosa mãe, as recebe de braços abertos.


É correto afirmar que a umbanda de quarenta anos atrás era uma e hoje outra, o que é, segundo os Maiorais do Espaço, excelente, pois as mudanças no campo da evolução são bem vidas.


Você é daqueles que acredita que é só acender uma vela para o seu santo, que resolve?


Está mais do que provado que sem estudos, sem conhecimento e sem merecimento nem o Santo dá jeito.


Fé também pode significar inteligência, o que quer dizer? Que a fé cega não movimenta nada, só induz as criaturas ao erro. Para ser fé precisa ser inteligente, consciente e equilibrada. Os fanáticos não têm nada disso, agarram-se a uma falsa crença de que tudo se resolve sem esforço próprio, ou seja, sem o devido merecimento. Aliás, o fanático dentro ou fora da umbanda, é aquele que ainda acredita em milagres!


Tudo é ciência. E constataremos que a fé sem o conhecimento científico é cega.


Poderíamos discorrer sobre este tema longamente, mas acreditamos que poderemos investigar mais e melhor nossa verdadeira situação, através das meditações que fizermos sobre o assunto. Será que insistimos em manter vivas em nós algumas dessas características?


É muito fácil enxergar a falha no outro, apontar-lhe o erro e dar-lhe o aconselhamento objetivo, o difícil é fazer isto em nós mesmos quando estamos fanatizados, porque o fanático dificilmente enxerga falhas em si.


É comum infelizmente, ouvirmos afirmações de alguns de nossos irmãos espiritualistas, de que nós é que estamos iludidos e até errados em trazer para a religião que professamos (umbanda), o saber e as mudanças positivas que são oriundas do conhecimento.


Para muitos, ouvir dizer, por exemplo, que somente acender uma vela para o santo não resolve, é motivo de melindres e de antipatias. Se não fizermos o trabalho da reforma íntima em nós, nenhuma vela dará resultado.


Não adianta vestir roupa limpa com o corpo sujo!


A todos desejamos paz, luz e conhecimento!


[important]Por: Marcos Marchiori/Letícia Gonçalves
Fonte: Missão de Luz[/important]