22 de mai de 2013

Educação e função dos médiuns II

médium, mediunidade, umbanda, kundalini, passe, médiuns, desenvolvimentoMuitas decepções e dissabores seriam evitados se compreendesse que a mediunidade percorre fases sucessivas e que, no período inicial de desenvolvimento, o médium é sobretudo assistido por Espíritos de ordem inferior, cujos fluidos ainda impregnados de matéria, se adaptam melhor aos seus e são apropriados a esse trabalho de bosquejo, mais ou menos prolongado a que toda faculdade esta sujeita. Só mais tarde, quando a faculdade mediúnica, suficientemente desenvolvida, adquiriu a necessária maleabilidade e se tornou dúctil o instrumento e que os Espíritos elevados podem intervir e utiliza-la para um fim moral e intelectual.


O período de exercício, de trabalho preparatório, tão fértil muitas vezes em manifestações grosseiras e mistificações é, pois, uma fase normal de desenvolvimento da mediunidade; e uma escola em que a nossa paciência e discernimento se exercitam em que aprendemos a nos familiarizar com o modo de agir dos habitantes do Além. Nessa fase de prova e de estudo elementar, deve sempre o médium estar de sobreaviso e nunca se afastar de uma prudente reserva. Cumpre-lhe evitar cuidadosamente as questões ociosas ou interesseiras, os gracejos tudo em suma que reveste caráter frívolo e atrai os Espíritos levianos.


E preciso não se deixar esmorecer pela mediocridade dos primeiros resultados, pela abstenção e aparente indiferença dos nossos amigos do Espaço. Médiuns principiantes, ficais certos de que alguém vela por vós e de que a vossa perseverança é posta a prova. Quando houverdes chegado ao ponto requerido, influências mais altas baixarão a vós e hão de continuar a vossa educação psíquica.


Não procureis na mediunidade um objetivo de mera curiosidade ou de simples diversão; considerai-a de preferencia um dom do Céu, uma coisa sagrada, que deveis utilizar com respeito para o bem de vossos semelhantes.


Elevai o pensamento às almas generosas que trabalham no progresso da Humanidade; elas virão a vós e vos hão de amparar e proteger. Graças a elas, as dificuldades do começo, as inevitáveis decepções que experimentareis não terão desagradáveis consequências; servirão para vos esclarecer a razão e vos desenvolver as forças fluídicas.


[important]Por: Léon Denis - Do livro: “No Invisível”
Fonte: Missão de Luz[/important]