15 de abr de 2013

Mediunidade a serviço do bem, a receptividade do médium e a canalização de energias. Jesus atuando em nós.

evolução da mediunidadeSomos canais vivos, “anteninhas” móveis que recebem e transmitem informações de outras dimensões.


Todo o tempo estamos em contato com forças que atuam no Universo, porém o processo é tão sutil que nos passa despercebido e assim seguimos em frente.


Nossos Irmãos Maiores estão sempre em contato conosco, porém, infelizmente não estamos em contato com eles da mesma forma e por uma razão bem simples, vibramos em outro diapasão e, normalmente não conseguimos manter-nos em elevada sintonia por causa dos desajustes e por causa de nossas inconstâncias.


Esta conexão existe desde sempre, sendo que nossos corpos são receptivos às cargas de energias oriundas das vibrações emanadas por tudo ao nosso redor. As mesmas não podem ser “vistas” por nós, mas podem ser sentidas.


O fato é que existe receptividade e podemos afirmar que todos num grau maior ou menor somos médiuns.


Entendemos que médium é todo aquele que pode sentir ainda que sutilmente, através da intuição pouco ou muito desenvolvida, o que emana de outras mentes, independentemente da dimensão em que elas estiverem atuando, as orientações, as comunicações, e as sensações que podem ser muitas vezes sentidas e interpretadas de forma inteligente no “meio físico”.


Mediunidade significa que podemos interagir com outras dimensões através é claro, de nossa sensibilidade de acordo com a atuação de cada corpo sensorial (Astral, Mental concreto, Mental superior, etc).


A mediunidade é bênção divina que nos é ofertada pelo Alto, com o intuito de ajudar a todos.


Bem servir usando como “ferramenta” a mediunidade, desde que haja alegria e humildade, amor e sabedoria, dedicação e estudo, vai nos transformando pouco a pouco em seres mais sensíveis e amorosos.


O objetivo maior é fazer com que através das várias encarnações, passemos a naturalmente nos envolver com os problemas sociais, com os “filhos” que são gerados a partir daí, que são os “mortos” de fome, os doentes mentais, os enfermos, os miseráveis, os infratores, etc. Estes novos homens e mulheres, já transformados pelas experiências adquiridas anteriormente, munidos de melhores intenções e sentimentos no campo da caridade, concorrem fortemente para que chegue a estes o socorro, a boa orientação e a correta instrução.


Um bom médium precisa ser disciplinado e estudioso, pois “este dom” tem o objetivo de nos despertar para nossos “problemas internos”, mediunidade em nossa modesta concepção significa também autoconhecimento.


A receptividade é característica natural dos sensibilizados mediunicamente, portanto quanto mais se é manso e humilde, dedicado e aplicado aos estudos sérios e comprometidos com a verdade que vem de Deus, mais envolvido o médium está com as energias superiores e com o êxito.


O médium através de seu guia espiritual e sob o amparo de Jesus é ferramenta importante e necessária.


O Pai Maior usa seus filhos para servirem uns aos outros.


Ao ajudarmo-nos mutuamente promovemos em nós o melhoramento e o aprimoramento moral e crescemos para Cristo.


Podemos canalizar em nosso espírito todas as forças e energias salutares existentes no cosmo, que são provindas do amor crístico de acordo com nossa capacidade de entendimento.


Para isso é necessário de nossa parte o comprometimento com o estudo, com a evolução do planeta e com nós mesmos (no sentido da reforma).


Mediunidade é antes de tudo ligação com Deus, pois é também através desta "ferramenta" que nos doamos e praticamos caridade, este caminho nos leva a conhecer e viver os ensinamentos contidos no Evangelho de Jesus.


Quando a mediunidade “bate à nossa porta” estamos sendo convidados a nos conduzirmos mansamente sob a atuação de Jesus, o divino amigo, em nós.


Muita paz e muito amor!


[important]Fonte: Missão de Luz[/important]