1 de fev de 2013

Anistia pelo amor!

caboclo, índio, umbandaMediunidade abençoada consiste em exercício constante de doação em favor do próximo sem nada esperar em troca.


Mediunidade é sinônimo de consolação para quem lhe é instrumento afinando as cordas dos sentimentos.


Mediunidade é auxílio para os que se encontram sem rumo, perdidos nos cipoais da dor e nos labirintos das ilusões.


Mediunidade é convite não para alienação ou fanatismo, mas, para que cada um possa observar melhor o que existe ao vosso redor no trânsito constante da Vida que é imortal.


Como tarefa que propicia a evolução de forma tríplice: “física, moral e espiritual”, a mediunidade é ponte luminosa entre os vários sistemas planetários.


Muito embora ao reencarnar o médium traga consigo um projeto pré-elaborado da tarefa que tenha a exercer, nada o impede de ampliar seu roteiro de serviço colocando-se com humildade, dedicação, desvelo e respeito aos guias que o tutelam do mais Alto.


Ser médium é condição natural de todos! Contudo ser médium no diapasão do bem e da renúncia ás mazelas morais é estrada íngreme, porém, iluminativa para quem segue os passos do Mestre de Nazaré – O Cristo Planetário.


Não basta unicamente ser intérprete dos pensamentos das entidades! Necessário se faz que as palavras sejam introjetadas por aqueles que a veiculam.


Se a Verdade do Pai Maior vos diz: “que muitos são os chamados e poucos os escolhidos”, a mesma Verdade afirma que: “nem todos os que dizem: Senhor! Senhor! Entrarão no Reino dos Céus!”


Mediunidade bem vivenciada é anistia pelo amor!


Tupã vos abençoe!


Que a luz de Oxalá vos ilumine!


Salve a Umbanda!


[important]Por: Paraguassú - Médium: Mãe Luzia Nascimento - Centro Espiritualista Luz de Aruanda - “Casa do Caboclo Sete Flechas”
Fonte: Cruzeiro da Luz[/important]